Sã Doutrina x Costumes (parte 2)


A SÃ DOUTRINA – Parte 2
Roupas de Homem. Roupas de Mulher

“Não haverá traje de homem na mulher, e não vestirá o homem vestido de mulher, porque
qualquer que faz isto é abominação ao Senhor teu Deus”. (Deuteronômio 22:5)

Muitos pregadores que condenam os outros com “doutrinas de roupa”, só são vistos como “moralistas” com a passagem de Deuteronômio 22:5, porque poucas pessoas se dão o trabalho de ler o restante dos versículos. Ninguém pode pegar um versículo isolado e fazer de doutrina. A bíblia toda se completa, sem confusão, sem contradição, certo? Então leia o que diz os versículos que seguem logo depois que diz sobre traje de homem e de mulher:

“Quando edificares uma casa nova, farás no teu telhado um parapeito, para que não
tragas sangue sobre a tua casa, se alguém dali cair”. (Versículo 8)

Algum destes pregadores ensinam também esse versículo? Ora, ele vem logo depois do que fala sobre os trajes! Constroem eles parapeitos nas suas casas? Estão eles em pecado??? Leia também o versículo 12:

“Porás franjas nos quatro cantos da tua manta, com que te cobrires”. (Versículo 12)

Ôpa, mais um pecado! Onde estão as mantas destes pregadores??? Estão eles sem santificação??? Amados irmãos, todo aquele que estuda a Palavra de Deus com sinceridade descobre os erros, e por isso Jesus disse:

“Errais não conhecendo as Escrituras e nem o poder de Deus”. (Mateus 22:29)

Não podemos concordar jamais com os liberalismos que existem por aí, e fazer a obra de Deus de qualquer maneira. Mas retirando as indecências que existem no mundo, não existe calça-comprida feminina e decente? Será que o radicalismo de proibir a mulher de usar calça salva alguém? Alguns líderes suspendem e até excluem irmãs da igreja, com suas doutrinas de roupa, mas não disciplinam as que causam confusões e intrigas com fofocas e outros sérios problemas.

Há calça-comprida feita exclusivamente para mulher. Ou seja, é calça de mulher, feita para mulher, logo não é “traje de homem”. Pode haver semelhança, como camisas que são semelhantes. Notamos que esta passagem de Deuteronômio 22:5 faz alusão aos que queriam usar as roupas do sexo oposto, talvez numa intenção de homossexualismo. Leia o que diz: “Não haverá traje de homem na mulher, e não vestirá o homem vestido de mulher…” Portanto, eles sabiam qual era a roupa de homem, e qual era a roupa de mulher! O que poucos pregam é que esta é uma lei do Velho Testamento, da mesma forma que a lei ordenava apedrejar mulheres pegas em flagrante de adultério, como está no evangelho de João capítulo 8:

“Ora, Moisés nos ordena na lei que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?” (João 8:5)

Veja que Moisés havia ordenado. E realmente está no livro de Levíticos 20:10. Mas estava aonde? Na lei!!!! Os livros de Gênesis a Deuteronômio fazem parte do pentateuco, os livros da lei. Isso significa que devemos abolir o velho testamento? Claro que não, pois no Novo Testamento, que significa Novo Pacto, Nova Aliança, se esclarece o que estava no Velho Testamento, como é o caso de João 8.

“Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra”.

Jesus chama de “acusadores” os que queriam apedrejar a mulher adúltera. Atualmente muitos vivem apedrejando o seu próximo, condenando por aparências, doutrinas de homens. Veja que advertência faz o nosso Mestre! Jesus não condenou aquela mulher que estava em adultério, pega no flagrante. O Senhor a avisou para não pecar mais, claro. Mas não a condenou! E hoje muitos querem condenar um irmão apenas por aparências. Misericórdia!!!

Do que adianta a mulher usar a saia, e usá-la justa demais ou curta? Não está a pessoa se vestindo pior do que a que usa uma calça-comprida decente?! Será que esta “doutrina” prevalece em todos os lugares do mundo? Então vejamos: Em Moscou, capital da antiga União Soviética, a temperatura chega a -40 Graus abaixo de zero. Isso mesmo. Um frio tão grande que muitas pessoas morrem somente de frio. Será que alguma “irmã” usaria a saia em Moscou??

Se a calça-comprida é “traje de homem” seria inaceitável usá-la por debaixo da saia, devido ao frio. Ou vestiria o “pecado” por causa do frio?? A palavra santificação significa separação. A pessoa que se santifica, ela se separa do mundo e suas práticas pecaminosas. Se despoja do velho homem, que deseja o pecado, a prostituição, as bebedeiras, os vícios, as orgias, etc. O “velho homem” é o velho querer, as antigas vontades do pecado. Efésios 4:25-31 explica bem essa parte. Se você falava mal do seu próximo, não irá falar mais, pois você estará santificando os seus lábios.

“Irmãos, não faleis mal uns dos outros”. (Tiago 4:11)

Mas ainda assim os pregadores que não conhecem a bíblia, com suas “doutrinas” de roupas e de homens, “doutrinas” essas que não estão na bíblia, pregam erroneamente Tessalonicenses 5:23:

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, e alma e corpo…”

Realmente devemos nos santificar em tudo. O nosso corpo é templo do Espírito Santo. Não pode ser entregue a indecência, a prostituição, a bebidas, etc. Quando você se converteu, você abandonou o pecado. Afinal, você mudou. Deus operou uma separação entre você e o mundo. A santificação é operada por Deus. Lembra-se do início do versículo? Leia:

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo…”

Ou seja, é ELE quem santifica. É Deus quem opera. É Ele quem toca no homem para abandonar o pecado. E não o homem com cobranças de doutrinas de roupas. Para confirmar esta certeza, basta ler o versículo 24:

“Fiel é o que vos chama, o qual também o fará”. (versíc. 24)

É ELE quem faz. É Deus, através do seu Santo Espírito, é que pode tocar no homem, convencer o homem do pecado. Todo tipo de pregação deve ser analisada à luz das Escrituras. Lembre-se dos crentes de Beréia, onde foi Paulo e Silas, em Atos 17:11. Tudo que os crentes bereanos ouviam, conferiam nas escrituras para ver se realmente era assim. E aceitaram a pregação, e a bíblia diz que eles foram mais nobres que os de Tessalônica. Preste bem atenção no versículo abaixo, para edificação da sua vida espiritual e você entender melhor:

“Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim”. (Atos 17:11)

Veja que bênção! Eles conferiam nas Escrituras tudo que era pregado, e aí sim aceitavam. E foram mais nobres que os de Tessalônica. Paulo e Silas não se sentiram ofendidos pelo fato deles conferirem com as Escrituras o que se pregava. Muito pelo contrário, era bom que eles conferissem mesmo, pois isso demonstrava uma busca sincera pela verdade. Quem busca o caminho da verdade é que busca conferir o que se diz. Quem quer viver no erro jamais vai se arriscar a verificar alguma coisa. O próprio Jesus ordenava “examinar” as Escrituras. (João 5:39)

Quem está na luz não fica confuso, não fica turbado, não erra o caminho. O que acontece quando falta luz em casa? Você pode tropeçar ou esbarrar em alguma coisa, não é? Mas quando a luz chega você vê tudo e não tropeça. A Palavra de Deus é a luz para o seu caminho. “Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho”. (Salmo 119:105) Devemos ter muito cuidado com a falsa capa de religiosidade que ronda muitas igrejas. Apocalipse 2:18,19 adverte a igreja de Tiatira pelo seguinte:

“Ao anjo da igreja em Tiatira escreve…Conheço as tuas obras, e o teu amor, e a tua fé, e o teu serviço, e a tua perseverança…Mas tenho contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se diz profetisa; ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas a ídolos”.

A opção do inimigo contra esta igreja foi introduzir uma mulher que se dizia profetiza, que operava com dons. Jezabel era filha do Rei do Sidônios (1 Reis 16:31) uma adoradora de Baal. O Rei Acabe se casou com esta mulher e permitiu que ela introduzisse a adoração a Baal em Israel. Ela tinha 400 profetas que comiam da sua mesa, desfrutando de status e privilégios. Muitos pensam que o Senhor sonda as roupas para qualificar alguém, segundo a aparência. Mas este é um erro terrível. A capa de religiosidade de Jezabel ronda muitas igrejas pelo mundo. Mas à igreja de Tiatira o Senhor Jesus deixa claro em Apoc 2:23 que não é bem a roupa que Ele sonda não:

“E todas as igrejas saberão que eu sou aquele que sonda os rins e os corações”.

Escrito por Pastor Denis de Oliveira

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em artigos e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para Sã Doutrina x Costumes (parte 2)

  1. Sergio Gomes disse:

    Sinceramente, não gostaria de comentar a presente matéria.
    lamentavél é termos tendências sempre voltadas para combater o que llícito e bíblico, ensinanando aos irmãos a ter completa aliança mundana, não obstante a moda dos ímpios, associada a sensualide e lascívia, pregadores que fazem apologia ao comportamento dos que repudiam as vestes e hábitos dos ímpios.
    Foram chamados para pregar o evangelho, visitar os enfermos, encarcerados, casas de custódia, Lar dos Idosos, expulsar os demônios…, vivem algo bem diferente que não se parece em nada com o evangelho do Reino.
    Todas as maldições bíblicas são direcionadas aos ímpios, aos impuros e ínfiéis. Eles induzem as ovellhas a não só usar vestes, mundanas, como a tb ter hábitos e vocabulários mundanos.
    Por isso promovem eventos continuos, como chá dos pastores, tarde da pizza, Mulheres virtuosas etc
    Disse Jesus: Vós conhecereis as árvores pelo fruto.
    Então, dão o que tem calendário de eventos, cuidado isto não é evangelho. Trata-se de entretenimento pessoal, Jesus nunca escriturou nada parecido com esses ensinamentos, são fábulas.
    Esgotando-se leia-se: TM 2. v. 9 a 15
    Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia…..(Esse não foi citado, prefere-se sempre omitir a verdade).
    Promoter vestes mundanas é fazer apologia a cobiça e a prostituição.
    E está e a vontade de Deus, que vos abstenhais da prostituição e das demais imundícies correlatas.
    Culto a Deus é sagrado. O corpo das irmãs casadas servem exclusivamente para seus maridos e o Senhor.
    As demais aguardem em Cristo, santificando suas vidas.
    Repudiando todo acordo com o Príncipe do Inferno, rejeitando não só as vestes como toda e quaisquer iguarias seculares que aborreça ao Senhor.
    E quem não sabedoria, peça a Deus que concederá e persevere em santificação, não criticando o que não convém, mais fazendo a obra de Deus, como evangelista, pregador e pastor.
    Sabeis que aquele vos chamou é Santo, sede santos em toda maneira de viver.

    • cassiooliv disse:

      Do mesmo modo, quero que as mulheres usem traje honesto, ataviando-se com modéstia e sobriedade. Seus enfeites consistam não em primorosos penteados, ouro, pérolas, vestidos de luxo,
      e sim em boas obras, como convém a mulheres que professam a piedade.( ITm 2:9-10)

      Roupas e gestos sedutores até na igreja
      Mulheres que provocam
      Vagner Baptista

      Elogios insistentes, um aperto de mãos prolongado, uma carona na saída da igreja ou um olhar indiscreto para o quadril da “irmã” que sentou meio sem modos na cadeira da frente, durante o culto. Pronto! Estão abertas as portas da tentação. Mas de quem é a culpa: dela, que não sabe lidar com a própria sensualidade, ou dele, que não consegue controlar seus impulsos? A questão, debatida com certa freqüência nos fóruns seculares, ganha corpo nas igrejas evangélicas. Pastores, psicólogos, ministros de louvor e seguidores de Cristo, em geral, discorrem sobre o assunto.

      Érika de Morais, 30 anos, psicóloga clínica e hospitalar, diz que é possível um homem sentir-se atraído por uma mulher mesmo quando ela não olha para ele. “O homem não precisa da intenção do outro para ser provocado. Ele tem um mecanismo cerebral que sinaliza quando aquilo que ele já definiu como algo que o atrai passa diante de seus olhos. Com ou sem apelo visual, ele poderá se sentir atraído pela mais recatada ou pela mais liberal”, explica Érika, membro da Primeira Igreja Batista em Ipanema, bairro da zona sul do Rio de Janeiro.

      Mas a psicóloga adverte que essa característica masculina não pode servir de desculpa para as mulheres relaxarem no cuidado com o que vestem e como se comportam, ao ponto de provocarem os homens, seja consciente ou inconscientemente. “Solteiras e casadas devem procurar refletir, dentro e fora da igreja, a imagem de Cristo em suas atitudes, gestos e na forma de se vestir”, aconselha. Polêmico, o debate coloca a sexualidade feminina na berlinda.
      Na opinião do pastor Silmar Coelho, 55 anos, da Igreja Metodista Wesleyana, roupa de mulher não tira o homem do seu propósito de santidade, mas pode influenciar negativamente. “A santidade é um estilo de vida”, ensina o pastor, para quem a igreja tem o dever de educar, orientar.

      Silmar Coelho acha que roupa de mulher não tira o homem do seu propósito de santidade, mas pode influenciar negativamente

      Coelho concorda que tanto a mulher como o homem devem prestar atenção ao que ensina o apóstolo Paulo: “Fugi da impureza! (1 Co 6.18). Mas não significa alienar-se em um outro mundo. Viver longe de mulher não faz os homens deixarem de desejá-las”, justifica o pastor, reforçando que fugir sem buscar a santidade não garante a força diante do mal. Coelho vai mais longe. Segundo ele, uma santidade condenatória faz as pessoas se vestirem como santos sem experimentarem a santidade. “A postura não dura muito. Um finge que é santo, os outros fingem que acreditam”, adverte o pastor.

      Na avaliação de Érika, a sexualidade, e conseqüentemente sua expressão no comportamento e vestimenta, é um tema pouco abordado na maioria das igrejas, salvo quando a comunidade organiza palestras e workshops específicos. A falta de embasamento teórico dos pastores e o foco religioso do culto são fatores que explicam, na opinião de Érika, o silêncio em torno da matéria.

      Criando um estilo próprio ao usar batas que cobrem os quadris, saias longas, blusas por baixo da camiseta, além de calças compridas ou forros sob a saia para evitar transparência, a cantora e pastora Fernanda Brum, casada e mãe de um filho, ganhou das suas amigas o título de “campeã da segunda pele”. Encarando o título com bom humor, Fernanda revela ainda que, antes de sair de casa, costuma fazer o “teste da adoração”. “Levanto os braços e vejo se a blusa não subiu mais do que devia”, ensina a cantora gospel.

      Segundo o entendimento do pastor Isaías Figueiró, 47 anos, do Ministério Cruzadas da Fé, com sede em Porto Alegre (RS) existem, sim, princípios práticos de como o público feminino evangélico deve se apresentar nos cultos. “Minha esposa, Magda Figueiró, sempre orienta que mulheres jovens e adultas devem estar atentas ao aspecto ‘ATA’ do vestir cristão: ‘cuidado com a Aderência, Transparência e, principalmente, com a Ausência’ ”, conta o pastor. Tão importante quanto observar esses princípios, adverte Figueiró, é ensinar com graça, sabedoria e unção do Espírito Santo.

      “O homem não precisa da intenção do outro para ser provocado”, diz a psicóloga Érika de Morais, para quem é possível um homem sentir-se atraído por uma mulher mesmo quando ela não olha para ele

      Vestir-se com recato e discrição, sem deixar de ser elegante, é um dos preceitos que a pastora Simone Carvalho ministra nos cultos da Comunidade Cristã da Barra da Tijuca (zona oeste do Rio de Janeiro). “Lembro que nosso exterior sempre refletirá nosso interior. E, neste ponto, o inimigo certamente aproveitará uma distração para nos desviar da Palavra de Deus”, afirma a pastora. Apesar do rigor, Simone Carvalho concorda que a sexualidade feminina é menos discutida do que deveria na igreja. “Penso que as reuniões femininas são ocasiões propícias para esclarecer com discernimento, firmeza e amor”, defende a pastora.

      O professor de marketing Áureo Pereira, 38 anos, casado com Andréia e pai da pequena Júlia, afirma que a sedução feminina ultrapassa as fronteiras do decote, das roupas finas e dos corpos sarados. Segundo Pereira, a briga contra a carne é resultado do que acontece dentro do homem. “Ainda que fechasse meus olhos, minha mente não deixaria de construir imagens. O desafio é fazer com que minha visão seja lamparina para meu corpo”, admite o professor. Disposto a não barganhar o inegociável – os ensinamentos da Bíblia –, ele diz que aprendeu a colocar “grandes cadeados” na porta principal de sua “morada”. “Instalei várias trancas, cadeados e fechaduras em minha residência porque não gosto de correr riscos. Tomei a mesma precaução contra as provocações da carne”, compara o professor.

      O jornalista Celso de Carvalho Francisco, 23 anos, da Igreja Presbiteriana Independente, em Volta Redonda (interior do Estado do Rio de Janeiro), assume uma posição legalista. “A igreja deve bater firme na questão da ordem e da decência. Certa vez, vi uma garota com uma minissaia tão curta que perdi a atenção em tudo na igreja e precisei pedir a ajuda de Deus. É preciso de limites”, lembrou o jovem, solteiro, “à procura de compromisso”.

      Simone Carvalho pensa que a sexualidade feminina é pouco discutida na igreja e que as reuniões de mulheres são ocasiões propícias para esclarecer a questão

      A estudante Fernanda Duarte, 22 anos, sem namorado, confessa que não gosta de ouvir os homens sempre jogando a culpa na mulher. “A gente fica numa posição muito difícil, cheia de cuidados para escolher a calça comprida, a saia, a blusa ou o vestido. O homem também deve pedir a Deus que controle sua mente”, protesta a moça, convertida desde 1998. Comunicativa, Fernanda assume que já teve problemas na igreja por seu jeito extrovertido de ser: “Falo com todo o mundo, mas se causei problemas, foi sem perceber”, desculpa-se, reafirmando: “Mas pensar e agir com sensualidade não é só da mulher”.

      Menos incisiva, Magna Rodrigues, 19 anos, solteira, recém-convertida e sem intenção de arranjar namorado, diz que se coloca no lugar do homem e tenta imaginar o que um amigo acharia ao vê-la com a barriga de fora. “Será que ele vai me ver como uma mulher cristã e sem intenção de provocar?” A resposta vem da própria Magna: “Penso que se for para andar vestida da mesma forma que algumas meninas que não são da igreja andam, qual é a diferença? Homem olha mesmo!”, explica.

      A estudante de moda Camilla Viana, 23 anos, conhece os dois lados da moeda. Antes de aceitar viver no Evangelho, há quase três anos, fazia questão de estar sempre em evidência. Barriguinha à mostra, calças compridas com cinturas bem baixas para exibir o bronzeado do biquíni de praia, além do cabelo com apliques para sugerir um “ar de mulherão”, faziam parte do visual de Camilla, hoje casada com Douglas, 28 anos. Ela virou crente, mas “não perdeu o estilo”, como deixa bem claro. “Hoje, as calças compridas continuam baixas, mas não mostram bronzeado algum”, esclarece Camilla. Só os tops mais comportados continuam no armário. “Não dá para malhar na academia com sutiã por baixo da camisa, né?!”, brinca a futura personal stylist.

      Entre gestos, olhares e roupas, mulheres e homens ainda precisam aprender a manter um equilíbrio no que se refere à sua sexualidade, sem que tenham de, necessariamente, se sentir amordaçados. Ou precisam, até mesmo, reeducar sua percepção do outro, avaliando que muitas vezes podem estar sexualizando tudo o que vêem. A santidade necessita ser algo saudável, lúcido e amadurecido para que seja de verdade. Indubitavelmente, a melhor referência será aquele sábio trecho bíblico que diz: “Escondi a tua palavra no meu coração para eu não pecar contra ti”.

    • Eduardo de Araújo disse:

      Com relação ao comentário do amado irmão Sergio gomes,eu reconheço que foi feliz no que disse; pois,foi um comentário considerávelmente ótimo.
      Parabéns meu querido !!!

  2. CLAUDIO disse:

    QUANDO DEUS FALA CORPO ALMA E ESPIRITO, É MUDANÇA DENTRO E FORA É EM TODAS AS ARÉAS DA NOSSA VIDA , SE NAÕ SOMOS DO MUNDO .QUANDO ACEITAMOS A JESUS PORQUE TEMOS QUE ESTA VESTIDA IQUAL , TEMOS QUE MUNDA PARA QUE O MUNDO VEJA QUE HOUVE MUDANÇA EM TUDO, PARA VEREM QUE REALMENTE JESUS ENTROU PORQUE QUNDO JESUS ENTRA ELE MUNDA POR COMPLETO. EU CREIO NUM DEUS DE MUDANÇA É O DEUS QUE FAZ A DIFERENÇA COMO GANHA ALMAS PRA JESUS SE AINDA ESTAMOS IGUAIS A ELES EM TODAS AS ARÉAS DA NOSSA VIDA.

  3. Eduardo de Araújo disse:

    Muitas vezes por falta de uma interpretação correta da Palavra de Deus, acaba-se permitindo costumes pagãos dentro de nossas igrejas,por falta de uma visão verdadeiramente espiritual de muitos pregadores e pastores,passam a aderir e permitir coisas que não convém pra um verdadeiro cristão.
    Sendo assim os nossos amados irmãos que não conseguem enxergar que esse negócio de calça feminina é pura influência demoníaca para ferir a santificação do corpo das irmãs, poderiam passar a vestir SAIA MASCULINA ,concordam ?
    Amados a Palavra de Deus já nos deixa bem claro no Livro de I coríntios 2 – 14 que as coisas espirituais são discernidas espiritualmente,mas infelismente existem em nosso meio muitos que se auto intitulam pregadores,ensinadores e grandes conhecedores das sagradas escrituras, porém não enxergam um palmo à frente, e acabam por permitir costumes MUNDANOS em nosso meio.
    A grande realidade é que precisamos pedir ao Senhor uma visão mais ampla das coisas Divinas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s