QUE ESCOLHAS ESTAMOS FAZENDO ?


QUE ESCOLHAS ESTAMOS FAZENDO ?

“Multidões, multidões no vale da decisão” (Jl. 3:14)

Este versículo bíblico encontra-se registrado no texto sagrado no livro do profeta Joel que viveu no século VIII a.c, o qual fala de uma perspectiva escatológica. Entretanto, a palavra decisão está relacionada à escolha e, diz respeito a algo inerente ao ser humano e que faz parte do seu cotidiano. Haja vista, desde o inicio da criação o homem sempre esteve diante desse dilema. Isto aconteceu com o primeiro homem Adão, escolher entre a verdade de Deus e a mentira do diabo, optou pela mentira do diabo, decisão como sabemos que produziu resultados funestos a todas as gerações posteriores. Fato é, que desde os tempos primórdios multidões mais multidões de gerações vivem continuamente tomando decisões as quais conseqüentemente têm produzido resultados bons ou ruins. Certo é, que independentemente da escolha seu resultado tem um efeito dominó, devastador ou edificador. Frente está realidade fica a pergunta: será que temos tomado decisões acertadas? É comum o homem fracassar nos negócios, no casamento, na vida profissional, em seus projetos, sonhos… etc.

Mesmo frente a essas desventuras, ainda assim, essa pessoa poderá se reerguer, contudo não poderá jamais apagar o rastro devastador causado por esta decisão que teve como causa última esses resultados. São sentimentos feridos, corações esfacelados, entes queridos abandonados, pessoas lesadas, direitos humanos violados e sociedade cada vez mais desintegrada. A vida é assim, constituída com tomada de decisão, e nesta trajetória , todos nós estamos constantantemente diante desse dilema e, a depender da decisão que tomarmos poderá refletir positivamente sobre nós mesmos, bem como sobre nossa família e amigos , como nos informa (At. 16: 31), ou causar danos irreparáveis às proximas gerações, e o pior, selar para sempre a nossa desventura a viver separado de Deus para sempre (I Jo. 5: 12). A prova disso encontramos no evangelho segundo escreveu São João capítulos 18 e 19 e, São Mateus capítulo 27, que nos informam acerca do julgamento do nosso Senhor Jesus Cristo, no qual, Pilatos governador da Palestina na época, teve toda chance do mundo para tomar uma decisão justa, louvável e que por certo mudaria o curso da sua vida . Observa-se que por varias vezes ele afirmara que não via crime nenhum em Jesus, mas por apego ao seu cargo de governador, mediante as ameaças dos judeus de denunciá-lo ao imperador Cesar de que ele estaria apoiando um sujeito sedicioso, preferiu lavar as mãos procurando inocentar-se do crime contra Jesus, colocando a culpa nos judeus. A consiência Barrabas ladrão e mal feitor estava sobre custódia dele, entretanto ele preferiu ser omisso, conivente e frouxo e, por causa dessa decisão pagou um preço alto. Mas tudo isso foi para cumprir o que Deus já de antemão havia predeterminado para que o homem tivesse como Pilatos a oportunidade de escolher entre a vida e a morte (Jesus ou Barrabás). Qual tem sido tua escolha, o que tem impedido de você escolher a Jesus? Pilatos estava apegado ao cargo de governador e você? Pilatos foi avisado por sua esposa (Mt. 27: 19), mas não deu ouvidos, e você, dará ouvidos a este aviso? Diz a história que o final da vida de Pilatos foi aterrorizador. Destituído do cargo de governador por corrupção foi preso para Roma onde morreu louco. E os judeus? coitados! não só não os que escolheram Barrabás à Jesus naquele dia, mas todas as gerações passadas ate o dia de hoje têm pagado um preço muito alto.

Tudo consequência de uma decisão numa simples troca de palavras:Veja:

“Então Pilatos, vendo que nada aproveitava, antes o tumulto crescia, tomando água lavou as mãos diante da multidão, dizando: Estou inocente do sangue desse justo, considerai isso. E, respondendo todo o povo, disse: O seu sangue caia sobre nós e sobre nossos filhos”. (Mt. 27: 24 – 25).

Pense nisso, e seja sábio ao tomar decisões, mas antes, tome uma decisão diante de Jesus. aceite-o como Senhor e Salvador de sua vida.

Mas, cuidado: Não lave as mãos com sua sorte.

Escrito por
Eli José dos Santos Bel Teologia

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s