Não deixe ninguém roubar seus sonhos (parte 1)


sonhador

“E disseram uns aos outros: “Eis lá vem o sonhador-mor !” (Gn 37:19)

Existe uma frase que diz: “Sonho de quem sonha é só um sonho (que se sonha só), mas sonha que se sonha junto é realidade”. E isso acaba sendo realidade quando sonhamos junto com Deus , quando sonhamos os sonhos de Deus. Diz que sonhos são fenômenos psíquicos que acontecem durante o sono, mas que também significa aspiração e desejo.

As Sagradas Escrituras relatam a vida de um homem que reuniu estes dois significados do sonho em sua caminhada e seu nome era José. Porém , a trajetória de José não foi uma caminhada “dos sonhos”, foi uma vida cheia de desafios. E para que os sonhos que Deus tinha para José se realizassem foi preciso que seu caráter fosse forjado e a sua fé fosse testada.
Através da vida de José podemos aprender muitas lições em como realizar um sonho segundo a vontade de Deus .

Entre essas lições podemos citar:

1)Devemos compartilhar nossos sonhos quando for necessário –  Talvez por imaturidade ou autoconfiança José declara seus sonhos aos seus familiares. (Gn 37:5-7;9-10). Quem sabe não tenha sido na alegria e na confiança inconsequente de um adolescente que ele tenha compartilhado. O fato é que José compartilha seus sonhos com quem em nada poderia contribuir para que se realizasse. Não sabemos verdadeiramente qual a motivação de José contar seus sonhos , se a intenção era incitar seus irmãos, fazendo de propósito, se foi por soberba ou inocência. Diz que por duas vezes José conta seus sonhos a seus irmãos. O primeiro sonho falava de molhos que rodeavam e se inclinavam ao molho de José. No segundo sonho o sol, a lua e as onze estrelas se inclinavam diante dele. Em ambos os sonhos proféticos o significado mostrava aquilo que aconteceria anos mais tarde, ou seja, a dependência da família de José a ele no Egito.
Porém o que sabemos que contar aqueles sonhos foi uma tolice da parte de José.

A palavra de Deus diz:

Porque, da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo da multidão das palavras.(Ec 5:3)

Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele.(Pv 29:20)

Verdadeiramente José se precipitou em suas palavras e acabou pagando o preço dessa precipitação. Devemos a aprender a compartilhar coisas espirituais com pessoas espirituais(1 Cor 2:14-15). E isso quando necessário.

2) Devemos compartilhar nossos sonhos com quem pode nos ajudar – Devemos na verdade compartilhar nossos sonhos e anseios com quem pode nos ajudar a realiza-los. Quando esteve na prisão José interpretou o sonhos de dois homens : Um era o padeiro-mor o outro o copeiro-mor. Ambos, foram soltos, tanto o padeiro, como o copeiro, conforme o sonho interpretado como José. Tanto que assim diz as Escrituras: E como ele nos interpretou, assim aconteceu(Gênesis 41:13a)
Porém para o padeiro o sonho interpretado e seu destino foi de morte,mas para o copeiro foi de livramento. E verdadeiramente a profecia se cumpriu. Saindo o copeiro-mor José pede a este que se lembre dele, que uses de compaixão para com sua vida e faça menção de seu nome ao Faraó(Gn 40:14). Porém o que aconteceu foi que saindo o copeiro-chefe não lembrou do José e se esqueceu dele(Gn 40:23).

Muitas vezes em nossa vida, preferimos contar com as pessoas do que com o próprio Deus. Por causa disso, acabamos nos decepcionando e muitas vezes nos entristecendo principalmente quando estamos em dificuldade, porque colocamos nossa confiança e nossa expectativa nos homens.

Porém diz as Escrituras:

É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem(Salmos 118:8)

Apesar disso, do esquecimento do copeiro sobre José, quando compartilhamos nossos sonhos com Deus , Ele não esquece de nenhum dos “seus”.(Is 49:15). Quando compartilhamos nossos sonhos e desejos a Deus com sinceridade,Ele não esquece de fazer cumprir as suas promessas.

Deus não esquece daquele que O teme como diz as Escrituras:

Aquilo que o perverso teme sobrevirá a ele, mas o desejo dos justos será concedido(Provérbios 10:24).

E foi o que aconteceu com José, pois o temor que Faraó teve fez com que o desejo de José se cumprisse, cumprindo assim o propósito de Deus.

Quando compartilhamos com Deus de nossos anseios e O agradamos Ele concede os desejos do nosso coração(Sl 37:4).

Não importa o tempo que demore para que venha se cumprir o propósito de Deus, devemos entender que aquele que nos faz sonhar concretizará os nossos sonhos na hora certa

3)Devemos saber esperar o tempo de Deus – Muitas vezes queremos fazer as coisas do “nosso jeito”, ao “nosso modo” e no “nosso tempo”. O livro de Eclesiastes diz que para todo propósito há tempo e modo.(Ec 6:6). José teve como virtude principal o saber esperar com paciência o tempo do livramento de Deus.
Diz as Sagradas Escrituras no salmos 40:

Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor(Sl 40:1)

José preferiu esperar o livramento no tempo de Deus do que se precipitar.Aquele que se apressa em seus passos,ou seja, que se precipita acaba pecando (Pv 19:2b). Muitas pessoas poderiam se indignar, murmurar e até abandonar o Senhor se estivessem na mesma situação que José.

Lembremos que José foi vendido pelos irmãos,tido como morto, retirado do convívio do seu pai Jacó e por fim preso injustamente por algo que não fez. Por tudo isso, José tinha tudo para duvidar e abandonar os sonhos que Deus tinha lhe dado. Esperar o tempo de Deus quando tudo vai bem é até normal e convém, mas quando tudo vai mal somente quem tem um espírito excelente e uma fé sobrenatural. (Gn 41:38-39;50:24-25; Hb 10;36). José soube perseverar e esperar o tempo de Deus sem esmorecer. Porém, esperar não é ficar de braços cruzados em comodismo, mas agir na oportunidade dada por Deus. José não desperdiçou a oportunidade dada por Deus em sua vida, por isso foi bem sucedido.

Queridos, nem sempre estar no topo significará sucesso e estar na cova um sinal de fracasso. A diferença não é onde estamos,mas para onde vamos e com “QUEM” andamos. A diferença está na VISÃO que temos dos nossos caminhos. É preferível estar na cova vislumbrando o céu, do que num estar no alto lugar (num precipício) contemplando a morte. A cova não é o fim para quem clama ao Senhor, mas apenas um lugar de reflexão para se chegar ao propósito de Deus.

Continua na parte 2

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em artigos, Estudos Bíblicos e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s