Perseverando até o tempo da promessa(parte 1)


perseverar1

Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que ele prometeu;
Hebreus 10:36 (NVI)

Sabe, queridos, muitas vezes pensamos que as promessas de Deus virão no momento que queremos, da forma que imaginamos e de uma maneira que sonhamos.  Mas muitas das vezes existe todo um processo para que as promessas de Deus se realizem.  Um processo muitas vezes difícil de entender, principalmente devida a nossa vida de  imediatismo e ansiedade.

Na minha vida, em especial,  recebi muitas promessas fora do tempo, digamos assim, numa idade incomum e atípica para nosso tempo.  Tive filhos  depois dos 35 anos , comecei a cursar a minha primeira faculdade depois dos 40 e assim muitas outras promessas de Deus…

Meditando nas Escrituras vi que muitas vezes foi necessário que o Senhor prolongasse o tempo da promessa para que o destinatário não deixasse de recebe-la.  Temos dificuldade de esperar em Deus , nas promessas de Deus, mas tudo bem para um fim proveitoso em nossas vidas.

O Senhor poderia muito bem não nos revelar suas  promessas,  mas por causa da nossa ansiedade, das nossas precipitações e atitudes equivocadas é que Ele nos revela.  O Senhor quer nos ensinar através das  promessas , não apenas nos dá-la.

Como um bom pai, Ele quer nos galardoar , nos presentear , não para nos mimar , mas para que também aprendamos com as promessas.   O problema todo são os atalhos que fizemos e a maneira que insistimos de “ajudar Deus” neste processo.    A realidade é que os atalhos que fazemos para adiantar o processo da promessa pode não resultar em coisas boas. Podemos através disso, retardar a promessa  cada vez mais e nos desfocar ao propósito. Quando fazemos do nosso jeito, não esperemos que o Senhor aprove e abençoe todas as  nossas atitudes e  defeitos. O Senhor não é obrigado a aprovar todos os nossos caminhos, nem aceitar tudo aquilo que pedimos ou pensamos como está escrito:

Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.(Isaías 55:8-9)

Lembremos de Abraão. Deus tinha planos maiores para aquele homem. Um herdeiro que se chamaria Isaque.
E sabemos o quanto aquele homem esperou pela promessa, a promessa de um herdeiro.
Mas por se precipitar, acabou buscando um atalho para a promessa quando concebeu a Ismael por Agar , a egípcia.  No final o Senhor abençoou a Ismael, mas a promessa era para o filho da promessa, Isaque.  Isaque foi o filho da velhice, o filho da promessa,  que no final serviu de lição para testar a fé de Abraão.

Porém temos que entender que tropeços não significam derrotas, mas algo que nos desvia do propósito e das promessas. Muitas pessoas se desesperam pelos
tropeços que deram esquecendo que sempre existe uma nova chance de recomeçar.  Abraão aprendeu com a lição Ismael, de sua precipitação em fazer atalho para Deus e aprendeu também quando em obediência ofereceu Isaque em holocausto.   Vemos que  em ambos os casos o fator da fidelidade e a fé deste homem de Deus foram determinantes para que sua descendência fosse abençoada.

Mesmo diante deste tropeço , este homem de Deus foi um exemplo de perseverança. A perseverança é um dos sentimentos mais importantes que  que precisamos ter até a o cumprimento da promessa.  Perseverança significa persistência, algo que faz não desistirmos ou desesperançarmos.

Perseverança significa persistir naquilo que se espera , sem desistir ,  não olhando para as circunstâncias e nem para trás.

A palavra de Deus diz que Abraão creu contra a esperança, ou seja, quando tudo dizia que não, Abraão creu que sim.  Diz a palavra que Abraão creu contra a esperança, como está escrito:

O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência.
E não enfraquecendo na fé, nào atentou para o seu próprio corpo já amortecido, pois era já de quase cem anos, nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara. E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus,
E estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer.
Assim isso lhe foi também imputado como justiça. (Romanos 4:18-22).

Vemos que a perseverança anda lado a lado com a fé que é a certeza daquilo que se espera.  Não podemos ter fé sem perseverança e vice-versa.

Diz assim a palavra de Deus:

Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia.
Pela fé habitou na terra da promessa, como em terra alheia, morando em cabanas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa.
Porque esperava a cidade que tem fundamentos, da qual o artífice e construtor é Deus.
Pela fé também a mesma Sara recebeu a virtude de conceber, e deu à luz já fora da idade; porquanto teve por fiel aquele que lho tinha prometido.
Hebreus 11:8-11

Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito.
Sendo-lhe dito: Em Isaque será chamada a tua descendência, considerou que Deus era poderoso para até dentre os mortos o ressuscitar;
E daí também em figura ele o recobrou.
Hebreus 11:17-19

Vemos nessas duas passagens que Abraão perseverou e obedeceu naquilo que Deus havia pedido.  Abraão obedeceu pela fé indo a um lugar que era esperado
e sacrificou seu filho esperando um escape  de Deus.  O interessante é que tanto o lugar como a descendência eram apenas promessas. Eram promessas inimagináveis e se formos analisar até desnecessárias para ele.  Se atentarmos a palavra de Deus veremos que Abraão era  uma pessoa que vivia na zona de conforto da vida , numa certa idade, casado, estável financeiramente, possuindo bens e posses.

Poderia haver outra motivação para Abraão perseverar ?

Entendo que não teria nenhum sentido ser desafiado a mudar apenas pela aventura financeira, mas pelo fato que havia promessa de não de apenas
receber algo de Deus , mas andar com Deus , ter uma descendência e ser benção para os outros.

Abraão ficou sendo conhecido como o pai da fé de uma descendência que viria ser conhecida como povo de Deus.

A perseverança nesse caso foi fator primordial para que as promessas de Deus se realizassem não somente na vida de Abraão , mas também a toda sua descendência. Por isso devemos aprender com a perseverança de Abraão e aprender que mesmo diante de dificuldades físicas, circunstanciais da vida
precisamos perseverar. São nas lutas diárias de nossa vida que mostramos nossa fé no Senhor.  Mesmo diante de escolhas erradas, precisamos entender
que o Senhor é capaz de mudar a nossa sorte.  Precisamos crer nas promessas e perseverar para alcança-las.

O Senhor tem sempre uma nova história para escrever em nossa vida, basta perseverar e crer

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em artigos e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s