Entendendo a permissão de Deus(parte 2)


proposito2

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
(Eclesiastes 3:1)

No momento que escrevo esta mensagem é passado alguns dias do acidente aéreo com maior repercussão mundial em nosso tempo e que vitimou mais de 77 pessoas, na maioria integrantes, jogadores do time do Chapecoense e alguns jornalistas.  Dentre esses 71 morreram e 6 foram resgatados com vida.

Através de uma situação como essa fica as pergunta:

Por que Deus permite a morte de vários e salva alguns ?
Como entender a vontade de Deus para os que morreram e
o livramento para os que ficaram vivos ?

Pois bem, a questão não é por que Deus permite, mas essa questão :

Porque não entendemos a soberania de Deus ?
Por que o homem (humanidade) não entende que é falho e mortal?

Pois bem, a resposta para todas essas perguntas, se chama PROPÓSITO:

Tem um episódio na Bíblia que exemplifica muito bem isso. Foi o caso da morte de
Estevão. Estevão foi um dos escolhidos pelos apóstolos para ser diácono, entre os 7 homens de boa reputação e que eram cheios do Espírito Santo e de sabedoria. (At0s 6:3-5)
Em razão do propósito que o Senhor tinha para sua vida. Por ser um homem cheio do Espírito falava algumas verdades que pregava incomodava os religiosos judeus que por isso viram motivo de apedrejá-lo.

E foi através de sua morte como mártir que surgiu outro personagem bíblico importante para o cristianismo, o apóstolo Paulo. Conforme está escrito:

E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo.  E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. (Atos 7:58-59).

Como entendermos isso.. a morte de um homem de Deus e o surgimento do ministério de outro.  Somente através do Propósito de Deus. Propósito significa intenção , projeto, objetivo e finalidade. Quando falamos propósito, isso não quer dizer, que Deus desejou a morte de alguém ou que essa foi sua vontade.

Dizem as Escrituras que o Senhor não deseja a morte de ninguém..nem do mais perverso homem , mas que eles venham a se converter e se salvar. (Ezequiel 18:21-23).

Portanto, entendo que essa morte não é a terrena, mas o que chamamos de segunda morte que é o julgamento dos não salvos (Ap 20:11-15).

Como seres humanos não entendemos os propósitos de Deus e nem sua soberana vontade, por isso compreender a fatalidade e a morte quando elas acontecem não são tarefas fáceis para qualquer pessoa, principalmente quando somos vítimas da negligência ou da natureza maligna do ser humano.

Além de não entendermos os propósitos de Deus e o fatalismo da morte acreditamos muitas vezes que nossa vida se resume nessa passagem que tivemos. Diz assim a palavra do Senhor:

Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.
1 Coríntios 15:19

Gostaria de me deter não apenas no fato de como crentes esperarmos em Cristo Jesus, mas na expressão de Paulo “só nesta vida”.

A morte no hebraico (mavet) significa separação não somente de uma vida terrena, mas também da ligação com o Criador. Lembremos que o propósito de Deus é a vida Eterna para a humanidade, refletindo assim Sua imagem e semelhança (Gn 1:26-27)

A vinda do Filho de Deus veio justamente para nos dar essa nova vida .

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16)

E foi justamente essa separação de Deus que trouxe o medo ao ser humano , inclusive pela morte.  Por isso, muitas vezes não entendemos esse momento, quando acontece essa passagem da vida pela morte.

Precisamos distinguir a morte física da morte espiritual.  Enquanto uma é finita a outra é Eterna. Enquanto uma nos separa dos homens a outra nos separa definitivamente de Deus. Todos nós morreremos fisicamente algum dia, a palavra de Deus nos diz que da mesma forma que nascemos, também a  morte física tem seus dias ordenados  (Salmos 139:16;Jó 14:5).  O livro de Jó diz que vivemos pouco tempo, estamos sujeitos a muitas provações e como a flor crescemos e logo murchamos (Salmos 139:1-2). O salmista também enfatiza isso dizendo:

Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó. Quanto ao homem, os seus dias são como a erva, como a flor do campo assim floresce. Passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não será mais conhecido. (Salmos 103:14-16)

Pedro escrever: Porquanto: “todo ser humano é como a relva e toda a sua glória, como a flor da relva; a relva murcha e cai a sua flor,  (1 Pe 1:24)

Mas seria isso o fim ?

A resposta está no versículo seguinte do salmos 103:16:

Mas a misericórdia do Senhor é desde a eternidade e até a eternidade sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos; (Salmos 103:17)

As Misericórdia do Senhor e o Privilégio de Viver

Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente (Gênesis 2:7 )

A palavra de Deus é bem claro ao dizer que formou o homem do pó, ou seja, daquilo que não era NADA. e lhe deu o Seu fôlego. E foi através desse fôlego, (hb neshamah )que temos vida.  O livro de Eclesiastes é bem claro quanto a nossa formação:

O pó volte à terra, de onde veio, e o espírito (fôlego) volte a Deus, que o deu (Eclesiastes 12:7)

Precisamos compreender que somos pó, ou seja, estávamos “mortos”, eramos sem vida, sem serventia nenhuma e que o Senhor nos deu o privilégio de viver.  O Senhor não tira a vida, apenas recolhe o sopro que nos deu.  Por isso o conceito de imortalidade da alma e ressurreição acabam sendo incompreendidos desde as épocas mais remotas.

Amados, foi através do Amor do Senhor e sua misericórdia que temos o privilégio de viver neste lugar que Ele preparou para nós. É por isso que não entendemos ainda assuntos complexos como a Paternidade de Deus, Seu Reino, o pecado e a Morte, pois temos ainda o Dna da Eternidade em nosso ser e isso nos foi separado no Éden.

Infelizmente, pelas nossas escolhas no princípio de tudo e o modo de vida que hoje vivemos preferimos viver distante de Deus.  Além disso, vivemos num mundo cheio de maldades, negligências e cujos acidentes e fatalismos  nos fazem perder as pessoas que amamos e que durante essa vida nos fizeram tão bem.  E isso nos traz uma profunda tristeza e um sentimento estranho de perda. Mas as Escrituras  no dá uma rica esperança de vivermos novamente e encontrarmos aqueles amados, através da confissão de crer em Cristo e na esperança da ressurreição na sua vinda .  A palavra do Senhor diz:

A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação.(Romanos 10:9,10 )

Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda (1 Coríntios 15:21-23)

E quando Ele viver, destruíra todos os seus inimigos, sendo  que o último inimigo será aniquilado será a morte.

Por isso devemos viver em Cristo, com Cristo e para Cristo neste tempo que temos o privilégio de viver nesta Terra, para que no dia da Sua Vinda, vençamos com Ele a vitória sobre tudo aquilo que nos entristece hoje, bem como, o maior dos nossos inimigos, ou seja, a morte.

Paulo nos alegra dizendo: Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados;Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.
Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. (1 Coríntios 15:51-54)

 

 

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em artigos, Estudos Bíblicos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s