Envolvidos pela Adoração – O dia que Deus encheu a Casa (parte 1)


O dia que Deus encheu a casa_thumb[2]E aconteceu que, quando eles uniformemente tocavam as trombetas, e cantavam, para fazerem ouvir uma só voz, bendizendo e louvando ao Senhor; e levantando eles a voz com trombetas, címbalos, e outros instrumentos musicais, e louvando ao Senhor, dizendo: Porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre, então a casa se encheu de uma nuvem, a saber, a casa do Senhor;
E os sacerdotes não podiam permanecer em pé, para ministrar, por causa da nuvem; porque a glória do Senhor encheu a casa de Deus. (2 Crônicas 5:13,14)

Sabe, amados, a momentos em nossa adoração a Deus trancende o lugar que estamos e se manifesta no lugar que o Aba deseja habitar que é no nosso coração e na nossa vida.
As Escrituras mostram no livro de Crônicas que tendo Salomão convocado o povo de Israel para oferecer sacrifícios ao Senhor, a Glória do Senhor encheu a Casa.

Gostaria de compartilhar alguns princípios interessantes referentes a esse fato:

1) A Glória de Deus se manifestou em pessoas dispostas a dar o seu melhor.

O interessante desse relato é que a Presença de Deus só se manifestou após a Casa de Deus receber os tesouros de Davi que era o ouro e a prata.    A Casa de Deus estava, então, pronta para receber as coisas que Davi havia consagrado. O significado do ouro e prata vai além do valor que ambos possuem, mas possui um conceito espiritual daquilo que era precioso para Deus, do melhor material, daquilo que tinha valor, tanto a nossa vida, como aquilo que oferecemos a Deus.

O salmista diz:

Tributai ao SENHOR, vós, filhos dos poderosos, rendei ao SENHOR glória e força. Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu Nome. Adorai ao SENHOR, por causa do esplendor da sua santidade. (Salmos 29:1-2)

Amarás o SENHOR, teu Deus, com todo o coração, com toda a tua alma e com todas as tuas forças (Dt 6:5)

Diz as Escrituras que além daquele material consagrado a Deus, o Rei Salomão e toda a congregação se reuniram diante da Arca sacrificando ovelhas e bois tão numerosos que não se podia contar (2 Cr 5:6).

Acredito com isso que o Senhor não deseja apenas o “material consagrado” , ou seja, aquilo que somos , mas uma vida em consagração, muito daquilo que temos a oferececer em louvor a Ele com nossas ações e atitudes.  Entendo, com isso, que precisamos dar o “melhor” ao Rei se quisermos estar envolvidos pela Sua Presença

2) Tinham disposição de dar a Glória devida ao Seu Nome

Outro fato interessante é que nessa ocasião Salomão congregou em Jerusalém todos os anciãos de Israel, e todos os chefes das tribos, os chefes dos pais entre os filhos de Israel, para fazerem subir a arca da aliança do Senhor (2 Crônicas 5:2) .
A arca de Deus era o símbolo da Glória do Senhor.  Quando damos a glória devida ao Seu nome, ou seja, um louvor que vai além daquilo que entendemos, achamos ou gostamos , a manifestação da Glória do Senhor é algo bem presente em nossa adoração.  Quando o glorificamos com nosso louvor , Sua Glória se manifesta abudantemente. Isso não se manifesta apenas num culto público, mas em qualquer lugar. O grande problema é que queremos enquadrar Deus em nossas programações, mas não deixamos que ele programe as nossas ações.  Precisamos entender que Deus não quer apenas a glória do “nosso louvor” , mas que sejamos o louvor da “Sua Glória”.  Há pessoas que buscam a glória de si e não a glória de Deus.  Quando fizeram subir a Arca , já havia um lugar preparado para ela.  Isso mostra que devemos estar preparados para que a presença se manifeste em nossa vida. (Ex 19:10-12)

Quando eles fizeram subir a Glória de Deus que estava na Arca, estavam reconhecendo que estavam buscando a Glória manifesta de Deus.  Aqueles homens estavam naquele lugar , adorando ao Senhor para lhe render glória.

Como diz a palavra de Deus:

Cantai a glória do seu nome; dai glória ao seu louvor.Salmos 66:2

E cantarão os caminhos do Senhor; pois grande é a glória do Senhor. Salmos 138:5

….. fazei tudo para glória de Deus” (1Co 10.31).

3) Estavam dispostos a adorar a Deus juntos e numa mesma voz.

Quando os sacerdotes saíram do santuário , após se santificarem, eles seguiram juntos para adorar ao senhor. Segundo as Escrituras, eles não respeitaram seus turnos.
Como sabemos, os sacerdotes eram responsáveis pelos turnos de adoração no tempo, mas segundo o relato bíblico eles não se importavam com a divisão que pertenciam (2 Cr 5:11 versão NVI).  Todos os adoradores louvavam em uníssino, ou seja, com o mesmo som ou na mesma linha melódica.

Um dos grandes impedimentos do fluir de Deus e da Sua Santa Presença em meio ao seus é a questão da unidade.  Muitas pessoas, congregações e Igrejas não tem desfrutado da Presença gloriosa de Deus pois vivem ainda na individualidade e no egoísmo.
Imagine você indo a uma orquestra e cada um começa a tocar seu instrumento ao seu bel prazer.  Provavelmente aquilo seria terrível aos nossos ouvidos, não é mesmo ???
Logo, iríamos notar a falta de harmonia e cumplicidade daqueles que músicos.  Aliás, palavra acorde, fala de canção de três ou mais notas, mas também significa “acordo” e harmonia. Poderíamos questionar se tivessem ensaiado, mas a falta de ensaio não justifica a falta de disposição de adorar em unidade.
Infelizmente no que tange a adoração ao Senhor, há muitas pessoas que adoram a Deus como se estivessem num velório ou culto fúnebre. Outras  entoam um cântico ao Senhor, mas o coração está bem longe.  Há tempos atrás estava numa dessas congegações, onde a Presença de Deus parecia estar bem longe. Lembro que  cantavámos aquela famosa canção de comunhão chamada “Corpo e Família” que diz:

“Somos Corpo e assim bem ajustados.. Totalmente ligados.. Vivendo em amor.. Uma família..Eu preciso de ti.. querido irmão…”

Outra canção que pode testar a comunhão e unidade de um lugar é aquela que  diz: “Como é precioso irmão estar bem junto a ti”.  

Essa canções costumam-se normalmente cantar juntos, com mãos dadas, abraçados , alegres e  numa cumplicidade de olhos e sorrisos.  Mas naquele lugar as pessoas cantavam para si , imobilizadas, sem sorriso ou qualquer reação de afeto.  Pude perceber que a falta de comunhão foi confirmada naquele numa simples canção.
Que coisa triste !!!  Não sei se aquela falta de comunhão era ocasional ou constante naquele lugar, porém sei que o clima no culto não era dos melhores.

Enfim, sem se deter nos juízo de valores, o fato é que a falta de unidade não traz nenhum benefício a Igreja do Senhor.

Jesus mesmo disse:

Eu lhes tenho transferido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos: Eu neles e Tu em mim, a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que Tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim. (João 17:23). 

Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.
(Mateus 18:20)

O interessante é que muitas vezes onde o povo de Deus se reúne para um ajuntamento solene, a manifestação poderosa de Deus ocorre.  A unidade e naquele caso, a adoração
em um só som mostrava que o Senhor preza pela unidade de seus filhos. A falta de unidade não traz aperfeiçoamento a Igreja como diz a Palavra de Deus.
Efésios 4: 12-13 diz que esse aperfeiçoamento traz maturidade espiritual, não vivendo como crianças.  Hebreus 13:21 que é o Senhor que aperfeiçoa para realizar a Sua vontade.  Romanos 14:19 diz que devemos nos esforçar para promover tudo que nos leva ao aperfeiçoamento mútuo.

De nada adianta adorarmos a Deus, cada um por si, se não procuramos viver e adorarmos juntos ao Senhor. A Palavra do Senhor diz que o Senhor responde e a glória do Senhor se manifestára e estará nos envolvendo. Mas muitas vezes nossa motivação em adorar a Deus é egoísta. Jejuamos e adoramos ao Senhor mas são para motivos pessoais (Is 58:4-10) Diz também as Escrituras que a mão de Deus não está encolhida, mas as nossas iniquidades fazem separação entre nós e Deus: (Isaías 59:2)

Por isso, o exemplo daqueles israelitas no templo, orando e adorando ao Senhor em unidade nos faz refletir sobre a forma agradável de adorar ao Senhor.  A Presença da Glória de Deus se manifesta em corações tementes a Ele e não em egoístas.  E assim como as criaturas celestiais (anjos) adoram ao Senhor num só tom e em unidade devemos assim proceder (Ap  4:8-11 ; 7:11-12)

A Glória de Deus é manifesta quando buscamos andar e adorar juntos e saber que não somos filhos únicos, somos “irmãos”, filhos de um mesmo Pai.   Numa família de muitos filhos iguais ao Pai.

Como diz a palavra:

Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre. (Salmos 133:1-3)

 

Continuação na parte 2

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em artigos, B’seter – Lugar Íntimo de Oração, PAGA – Intercessão e Oração e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s