Série de Estudos : Atitudes e Ações de Louvor – Barak


barak
A palavra Barak significa ajoelhar-se ou inclinar-se e abençoar ao Senhor, para dar reverência a Deus como um ato de adoração.  Expressa humilhação de si mesmo , rendição e entrega.  Essa humilhação de si mesmo é uma das expressões mais desconfortáveis fisicamente que alguém possa fazer, porém demonstra total reverência ao Senhor. Ele carrega consigo a idéia de humilhar-se a um lugar que é inferior ao destinatário de sua adoração (Deus).  É um sinal de reconhecimento a Deus, que somos seus servos e que Ele é nosso Rei. Significa que o reconhecemos como nosso Deus.

 “Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos(barak) diante do SENHOR, que nos criou” (Salmos 95:6)

É feito com uma atitude de antecipação. Em todo o Antigo Testamento esta palavra é continuamente usada. Quando se pensa  sobre a palavra ‘abençoe’ trazemos à mente tudo que Deus através de Seu Filho Jesus Cristo e aquilo que tem feito por nós no passado e o que Ele está fazendo atualmente. No entanto, já paramos para nos perguntar como podemos abençoar a Deus? Davi nos salmos 103: 1-2 nos diz como, quando diz:

“Bendizei (barak) ao Senhor, ó minha alma; E tudo o que há dentro de mim, abençoe o seu santo nome … “[Algumas traduções bíblicas usam a palavra louvor.]
Davi continua, recordando e distinguindo tudo o que Deus tem feito.” Elogios de Barak “também podem ser usados como uma forma de oração, como a palavra sugere ajoelhar e abençoar Deus em adoração ou devoção.

barak1
A canção “pai, nós te amamos, nós te louvamos, nós te adoramos” é uma expressão de “louvor Barak”.  (baw-rak)

Eu também gosto de fazer com que as pessoas pensem sobre uma corte real de anos passados.

Peça-lhes que respondam qual seria a primeira coisa que você faria antes de se aproximar do trono para ter uma audiência com um rei ou rainha. Você se curvaria como um sinal de reverência e deferência ao seu poder. O mesmo se aplica aqui: nos inclinamos e nos ajoelhamos para exteriormente expressar nossa consciência da grandeza de Deus.

Então Davi disse a toda a assembléia: “Louvem (barak ) ao Senhor, o seu Deus”. E todos (assembléia) eles louvaram (barak) o Senhor, o Deus dos seus antepassados, inclinando-se e prostrando-se diante do Senhor e diante do rei. (1 Crônicas 29:20)

Assim eu te (barak) bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos.(Salmos 63:4)

Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome; anunciai a sua salvação de dia em dia.
(Salmos 96:2)

Outra referências bíblicas sobre a palavra bendizer estão Juízes 5:02, Salmo 16:7, Salmo 34:1, Salmo 66:8, salmos 72: 9 ; Salmo 100:4, o Salmo 103. , Salmo 113.

Fontes:
TWC CLASSIC: 7 Ways To Praise – A Simple Teaching On Worship
The 8 Levels of Praise & Worship – Ps. Rhema Williams
Escrito pelo Teacher: Bryant L. McNeal

Publicado em artigos | Deixe um comentário

1O INCRÍVEIS RAZÕES DE PORQUE ADORAMOS A DEUS (ROB STILL)


10-Amazing-Reasons-Why-We-Worship
Por que os cristãos adoram? Por que devemos cantar e louvar e adorar a Deus?

Matt Redman tem uma canção maravilhosa intitulada “10.000 Razões”, que oferece muitas afirmações para louvar a Deus. Mas há muito mais do que apenas 10.000 razões para abençoar e adorar o Senhor.

Aqui estão o que eu considero ser 10 razões surpreendentes “por que adoramos”. Estes estão no topo da minha lista. O que você acrescentaria?

1. ADORAMOS PORQUE DEUS É DIGNO.

Grande é o Senhor e digno de louvor;
Sua grandeza ninguém pode imaginar. Salmos 145: 3

Invocarei o Senhor, que é digno de ser louvado; assim serei salvo dos meus inimigos. Salmos 18: 3

A verdade é que o único Deus verdadeiro é o único ser digno de adoração. A adoração dirigida em qualquer outro lugar não é apenas insatisfatória, é idolatria vaidosa. Somente Deus merece todo o nosso louvor.
“Tu és digno, nosso Senhor e Deus,
Para receber glória e honra e poder,
Para você criou todas as coisas,
E por sua vontade eles foram criados
E têm o seu ser. “Apocalipse 4:11

2. ADORAMOS PORQUE ESTAMOS CRIADOS PARA RELACIONAMENTO COM DEUS.

Homens e mulheres são criados Imago Dei, à imagem de Deus. Como portadores de Sua imagem, somos projetados para estar em comunhão com o Pai Filho e Espírito Santo. Estar nesse estado de relacionamento é adoração. Está em nosso DNA, está embutido na natureza humana.

Deus criou a humanidade à sua própria imagem,
À imagem de Deus os criou,
Macho e fêmea ele os criou. Gênesis 1:27

Cristo fez tudo nos céus e na terra. Ele fez tudo o que é visto e coisas que não são vistas. Ele fez todos os poderes do céu. Tudo foi feito por Ele e para Ele. Colossenses 1:16

Somos criados para o relacionamento com Deus, ea adoração é a linguagem de Seu amor.

3. ADORAMOS PORQUE É A COISA NATURAL PARA AS PESSOAS FAZER.

Facto:
As pessoas têm adorado ao longo da história do mundo.

Desde os tempos antigos até hoje na cultura contemporânea, pode-se observar que houve um impulso religioso inerente às pessoas para se conectar com o divino.

Da observação antropológica e cultural, pode-se concluir que todo mundo adora, o tempo todo.

Paulo descreve como o impulso de adoração é mal dirigido em Romanos 1.

Pois, desde a criação do mundo, as qualidades invisíveis de Deus – seu eterno poder e natureza divina – têm sido claramente vistas, sendo compreendidas a partir do que foi feito, para que as pessoas não tenham desculpa. Romanos 1:20

Eles trocaram a verdade sobre Deus por uma mentira, e adoraram e serviram as coisas criadas ao invés do Criador – que é louvado para sempre. Um homem. Romanos 1:25

Todo mundo adora, o tempo todo. A questão não é – “adoraremos ou não”? As pessoas já estão engajadas em adorar alguma coisa.

A questão é – qual será a direção de sua adoração? Será direcionado para Deus … ou não?

4. ADORAMOS PORQUE NÓS SEREMOS MUDADOS E TRANSFORMADOS DO INTERIOR.

Não se conformem a este mundo, mas sejam transformados pela renovação de sua mente … Você será mudado de dentro para fora. Romanos 12: 2 (NASB, MSG)

Quando escolhemos adorar isso muda nosso estado de espírito. Envolver-se em adoração desloca nosso foco fora de si mesmo. Quando meditamos sobre a bondade de Deus, ela muda nossa mentalidade.

… deixa de lado o teu antigo eu que está sendo corrompido … seja renovado no espírito de sua mente … e ponha seu novo eu que foi criado à imagem de Deus. Efésios 4: 22-23

Praticamente falando, como fazemos isso? Tente algo que eu ouvi Ray Hughes aludir a:

Fora com o velho, com o novo.
Palavra de Deus, Palavra de Deus.
Espírito de Deus, Espírito de Deus.

5. ADORAMOS PORQUE NÓS TORNAMOS O QUE NÓS TEMOS.

Todos nós, com rosto desvendado, vendo a glória do Senhor, estamos sendo transformados à sua imagem com glória sempre crescente, que vem do Senhor, que é o Espírito. 2 Coríntios 3:18

A adoração é a metodologia de Deus para nos mudar e transformar-nos à semelhança do Seu Filho. A adoração é parte do plano de desenvolvimento pessoal de Deus para cada um de nós.

6. ADORAMOS PORQUE A ADORAÇÃO É UMA BOA COISA A FAZER.

É uma coisa boa e deliciosa louvar e dar graças ao Senhor, e fazer música ao teu nome, ó Altíssimo. Salmo 92:

7. ADORAMOS PORQUE A ADORAÇÃO ABENÇOA A DEUS, E OS MINISTROS A ELE.

Sim, Deus desfruta quando falamos com Ele, temos relação com Ele e adoramos a Ele!

O Senhor se deleita naqueles que o temem e o adoram, com reverência e obediência inspirados pelo temor, que colocam sua esperança em Sua misericórdia e misericórdia. Salmos 147: 11

8. ADORAMOS PORQUE A ALEGRIA DO SENHOR É A NOSSA FORÇA.

Somos projetados para receber e prosperar em uma atmosfera de alegria. Mesmo na dor, podemos confiar na bondade de Deus. A alegria é o molho secreto dos adoradores!

Regozijai-vos sempre no Senhor. Vou dizer novamente: Alegrai-vos! Filipenses 4: 4

Cantai de alegria ao Senhor, vós, justos; Porque o louvor dos justos é lindo. Salmo 33: 1

Este dia é santo ao nosso Senhor. Não vos entristeçais, porque a alegria do Senhor é a vossa força. Neemias 8:10

Você me mostrará o caminho da vida; Na tua presença há plenitude de alegria;
Na tua mão direita há prazeres para sempre. Salmos 16:11

9. ADORAMOS PORQUE O SENHOR HABITA NOS LOUVORES DO SEU POVO.

Contudo, Tu és santo, Entramos nos louvores de Israel. Salmos 22: 3

Cantai de alegria e regozijai-vos, ó Filha de Sião; Porque eis que venho, e habitarei no meio de vós, diz o Senhor. Zacarias 2:10

10. ADORAMOS PORQUE A BÍBLIA DIZ ASSIM! 

Atribua ao Senhor a glória devida ao Seu nome; Adore o Senhor na beleza e majestade de Sua santidade. Salmos 29: 2

A adoração, e como se relacionar com Deus, é o assunto dos quatro primeiros dos Dez Mandamentos.

Você não deve servir a outros deuses diante de Mim. Êxodo 20: 2
Você não deve fazer qualquer ídolo ou imagem de outros deuses. Na verdade, você não deve fazer uma imagem de qualquer coisa nos céus acima, na terra abaixo, ou nas águas abaixo. Êxodo 20: 4
Você não deve se curvar e servir qualquer imagem … Êxodo 20: 5

Há uma promessa de bênção para aqueles que escolheram seguir Seus comandos e adorar a Deus Seu caminho.

Mas para aqueles que Me amam e guardam as Minhas diretrizes, seus filhos experimentarão Meu amor leal por mil gerações. Êxodo 20: 6

Agora, por causa de Jesus e da nova aliança que Ele estabeleceu, podemos adorar a Deus por meio de Sua vida expiatória, morte e ressurreição.

Através de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor – o fruto dos lábios que reconhecem e confessam e glorificam Seu nome. Hebreus 13:15

CONCLUSÃO

Poderíamos passar uma vida explorando as muitas razões pelas quais poderíamos e devemos adorar a Deus. E nós vamos!

SOBRE VOCÊ.

Então, o que eu perdi? O que você acrescentaria a esta lista? O que é significativo para você?

Faça este pequeno exercício sozinho. Procure as escrituras e suas próprias experiências de vida para criar mais algumas razões. Deixe um comentário, eu adoraria ver suas respostas!

Rob Still

robstillRob Still é Líder de adoração, compositor, autor, produtor e instrutor de seminário em Nashville, TN. Faz workshops ao vivo, consultoria / coaching / mentorização e cursos on-line para ministérios de adoração. Também ensina sobre o campo missionário, principalmente a Europa Oriental. Seu objetivo é encorajar a adoração sincera – em qualquer contexto – através do ensino teológico, treinamento de liderança e viver um estilo de vida de adoração.

 

Publicado em artigos, Louvor e Adoração | Marcado com , | Deixe um comentário

Sermão de Páscoa – C.H Spurgeon (parte 2)


Domingo de Páscoa - CristoTambém está implícito no texto que Jesus morreu; pois não poderia ter ressuscitado dos mortos se não tivesse descido primeiro entre os mortos, e não tivesse sido um deles. Se Jesus morreu: a crucificação não foi um engano; seu lado transpassado com uma lança foi uma prova sumária, clara e evidente de que estava morto. Nenhum homem deste mundo esteve certamente mais morto que Ele. “Se pôs com os ímpios sua sepultura, mas com os ricos foi em sua morte”. Como morto o colocaram no lugar dos mortos, com mortalha, ataduras e roupas adequadas para um morto: e logo rodaram a grande pedra que tapava a sepultura na rocha e ali O deixaram, sabendo que estava morto.

Em seguida vem a grande verdade de que assim que o sol iniciou seu terceiro turno brilhante, Jesus ressuscitou. Seu corpo não tinha sofrido corrupção, pois não era possível que este santo cadáver visse corrupção; porem, ainda assim, tinha estado morto, e pelo poder de Deus, por seu próprio poder, antes que o sol tivesse saído, seu cadáver foi revivificado. A alma do Redentor tomou posse outra vez do corpo, que viveu uma vez mais. Ali estava dentro do sepulcro, vivo, em sua totalidade como sempre esteve. Ele saiu da tumba, literal e verdadeiramente, em seu corpo material, para viver entre os homens até a hora de Sua ascensão ao céu.

Esta é a verdade que se deve ensinar, embora, apesar de que alguns queiram refiná-la, ou se atrevem a espiritualizar-la. Este é o fato histórico que os apóstolos presenciaram; esta é a verdade pela qual os confessores sangraram e morreram. Esta é a doutrina que é a pedra angular do Cristianismo, e aqueles que não a mantém deixaram de lado a verdade essencial de Deus.

Como podem esperar a salvação de suas almas, se não crêem que o Senhor ressuscitou verdadeiramente?

 

  1. Primeiro, amados, com a ajuda de Deus, temos QUE CONSIDERAR AS REPERCUÇÕES DO FATO DE QUE JESUS RESSUSSITOU DOS MORTOS.

É claro que a ressurreição de Nosso Senhor foi uma prova tangível de que há outra vida. Vocês não têm citado muitas vezes certas linhas sobre “esse pais desconhecido de que nenhum viajante regressa”? Não é assim. Teve um viajante que disse “Vou, pois, preparar lugar para vós. E se foi preparar lugar e voltarei, outra vez, e os levarei para mim, para onde eu estiver vós também estareis”. Ele disse: “Ainda por um tempo me vereis, e de novo um pouco me vereis; porque eu volto para o Pai”. Não se recordam destas palavras Dele? Nosso Divino Senhor foi a uns pais desconhecido e regressou. Ele disse que ao terceiro dia regressaria e foi fiel a sua palavra. Não há nenhuma dúvida de existe outro estado para vida humana, pois Jesus esteve nele e regressou dele. Não temos nenhuma duvida quanto à existência futura, pois Jesus existiu depois da morte.

Não temos nenhuma dúvida quanto a um paraíso de futura bem-aventurança, pois Jesus foi para lá e voltou. Ainda que Ele voltou a deixar-nos para ficar conosco mais 40 dias,nos garantiu sua volta uma segunda vez quando chegue a hora marcada, e então permanecerá conosco por mil anos, e reinara na terra com Seus anciãos em glória. Seu retorno dos mortos é uma garantia para nós da existência de vida depois da morte, e nós nos alegramos nisso.

Sua ressurreição é também uma garantia de que o corpo vivera outra vez e será elevado a uma condição superior, pois o corpo de nosso Bendito Mestre não era nenhum fantasma depois da morte, como também não o foi antes. “Toca e vê”, Oh! Que prova portentosa! Ele disse “Toca e vê”, e logo disse a Tomé: “Poe aqui teu dedo, olha minhas mãos: e vem, poe tua mão ,toca-me do lado” que engano seria possível com isto? O Jesus ressuscitado não era um mero espírito. Ele falou imediatamente; “Um espírito não tem carne nem ossos, como podeis ver que eu tenho.” E perguntou, “Tereis algo para comer?” para mostrar-lhes como Seu corpo era real, embora não tivesse necessidade de comer. E comeu um pão de mel e parte de um peixe assado, como provas da realidade do ato.

Já não era mais desprezado e descartado pelos homens, senão que estava rodeado de glória. É evidente que o corpo ressuscitado passava de um lugar para outro em um instante, que aparecia e desaparecia segundo sua vontade, e que era superior as leis da matéria. O corpo ressuscitado era incapaz de sentir dor, fome, sede e nem cansaço durante o tempo que permaneceu aqui na terra: era um representante apropriado de todos aqueles que dormiram, dos quais é as primícias.

De nosso corpo também em breve se poderá dizer: “Foi semeado na fraqueza, é ressuscitado em poder; foi semeado em desonra, ressuscitará em glória.” Então, ao pensar em Cristo ressuscitado, devemos estar bem seguros da uma vida futura, e muito seguros que nosso corpo existirá nela em uma condição glorificada.

Eu não sei se às vezes vocês ficam perturbados pelas dúvidas em relação ao mundo vindouro, no quanto se pode ser certo que viveremos eternamente. Este aspecto é que faz a morte parecer terrível aos que duvidam; pois mesmo que creiam nesta realidade do sepulcro, não crêem na realidade da vida depois dele.

Agora, a melhor ajuda para crer nessa realidade, é o firme assentimento do fato que Jesus morreu e que Jesus ressuscitou. Este fato está demonstrado mais que qualquer outro fato da historia; seu testemunho é mais forte do que qualquer outra coisa que está escrita, seja nos registros profanos ou sagrados. Já que a ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo é verdadeira, podemos estar seguros da existência de outro mundo. Esse é o grande impacto desta grande verdade.

2- Em segundo lugar, a ressurreição de Cristo dos mortos foi o selo de todas Suas afirmações. Portanto, era certo que foi enviado por Deus, pois Deus o ressuscitou dos mortos em confirmação da Sua missão. Ele mesmo disse: “Destruirei este templo, e em três dias o levantarei” Vejam: o templo de seu corpo foi reconstruído! Ele havia, inclusive, dado este fato como um sinal: quer dizer, da mesma forma o relato de Jonas, preso no ventre de um grande peixe por três dias se três noites, assim estaria o Filho do Homem, no coração da terra três dias e três noites, e logo ressurgiria para a vida outra vez. Considere Seu próprio sinal escolhido, e como foi cumprido. O sinal ficou evidente aos olhos dos homens.

Suponham que não tivesse ressuscitado, nunca. Vocês e eu teríamos podido crer em certa missão que Deus tivesse dado a Jesus; porem, nunca teríamos acreditado na verdade desta missão como afirmava ter recebido, uma comissão de ser nosso Redentor da morte e do inferno. Como Ele poderia ser nosso resgate do sepulcro, se Ele mesmo tivesse permanecido sob o domínio da morte?

Alem, a ressurreição Cristo demonstrou Sua pretensão à Deidade. É-nos informado em outra parte que foi comprovado que era Filho de Deus com poder pela ressurreição dos mortos. Ele ressuscitou por seu próprio poder, e embora o Pai e o Espírito Santo cooperaram com Ele, e por isso, Sua ressurreição é atribuída a ambos. No entanto, foi devido porque o Pai lhe tinha dado o ter vida em si mesmo, que ressuscitou dos mortos.

Sua ressurreição foi a assinatura do Soberano do céu, pois tudo que disse fez, e portanto o terceiro impacto de sua ressurreição e esta e é muito grandiosa a ressurreição de Nosso Senhor,de acordo com as Escrituras Seu sacrifício foi aceito. Através da ressurreição Jesus Cristo foi dado provas de que ele apoiou plenamente a punição devida aos humanos. “A alma que pecar, esta morrera” Essa é a vontade de Deus. Jesus morreu pelo pecador; e quando ele fez isso, ninguém pode exigir mais nada Dele, pois quem está morto está livre da lei.

Imaginem um homem que foi condenado por um crime capital: é condenado á forca, esta e é suspenso pelo pescoço ate morrer; o que a lei tem com ele agora? Já não tem nada com ele, pois a sentença que caia sobre ele já foi executada. Se pudesse ser trago de novo a vida, ele estaria livre do castigo da lei. Nenhum decreto que circulasse pelos domínios de Sua Majestade poderia tocar a ele, pois já sofreu o castigo.

Da mesma forma, quando Nosso Senhor Jesus ressuscitou dos mortos, depois de ter morrido, já tinha pagado totalmente o castigo que devia a justiça pelo pecado de Seu povo, e Sua nova vida era uma vida livre de castigos, livre de responsabilidade. Você e eu estamos livres das reivindicações da lei, porque Jesus esteve em nosso lugar, e Deus não exigirá o pagamento tanto de nós como de nosso Substituto; seria contrário à justiça estabelecer juízo contra a Fiança como também contra aqueles por quem foi representada a fiança. E agora, alegria sobre alegria!! A carga de responsabilidade que uma vez caiu sobre o Substituto é quitada Dele também, vendo que pelo sofrimento da morte, defendeu e honrou justiça e deu satisfação à lei infringida.

Agora, tanto o pecador como o Fiador são livres. Este é motivo de grande alegria, uma alegria pela qual há que fazer com que as harpas de ouro toquem uma sublime melodia. Aquele que assumiu nossa dívida, foi a Si mesmo liberto dela quando morreu na cruz. Sua nova vida, agora que ressuscitou dos mortos, é uma vida livre de qualquer reclame legal, e é sinal para nós de que também somos livres, já que Ele nos representou.

Escutem! “Quem acusará os escolhidos de Deus? É Deus que justifica. Quem nos condenará? Cristo é o que morreu: mais ainda, o que também ressuscitou”. Em si este é um golpe que abate medo até ao chão quando o apostolo diz que não podemos ser condenados porque Cristo morreu em nosso lugar, mas aplica-lhe uma força dobrada quando clama “Mas ainda, também ressuscitou” Portanto, se Satanás se aproximará de qualquer crente e lhe dissera: “que há quanto a seus pecados?”, ele deve responder-lhe que Jesus morreu por ele, e que seu pecado já foi quitado .Se voltar a dizer, “e teus pecados?” , responde a ele,”Jesus vive, e Sua vida é a garantia de nossa justificação; pois se nosso Fiador não tivesse pago a divida, estaria ainda sobre o poder da morte.” Já que Jesus já pagou todas as dividas, e não deixou nenhum centavo pendente frente a justiça de Deus, atribuído a alguém de seu povo, Ele vive e é livre, e nos vivemos Nele, e somos também livres em virtude de nosso união com Ele. Não é esta uma gloriosa doutrina, essa doutrina da ressurreição, em sua repercussão sobre a justificação dos santos? O Senhor Jesus se entregou por nossos pecados, porem ressuscitou para nossa justificação.

Sejam pacientes comigo, enquanto comento, em continuação, outra repercussão, da ressurreição de Cristo. Foi uma garantia da ressurreição de Seu povo. Existe uma grande verdade que não pode ser esquecida nunca, ou seja, que Cristo e seu povo são um só, tal como Adão e toda sua semente são uma. O que Adão fez, o fez como um uma cabeça por um corpo, e como Nosso Senhor Jesus e todos os crentes são um, assim o que Jesus fez, o fez como uma cabeça por um corpo. Fomos crucificados juntos com Cristo, fomos enterrados com Cristo, e temos ressuscitado com Ele. Sim, juntos com Ele nos ressuscitou, e assim mesmo nos fez sentar junto com Cristo Jesus nos lugares celestiais. Ele disse:

“Porque eu vivo, vós também viveis.” Se Cristo não ressuscitou dos mortos, sua fé é vã, e nossa pregação é vã, e ainda estão em seus pecado, e os que morreram em Cristo pereceram, e vocês também perecerão. Porem, se Cristo ressuscitou dos mortos, então todo seu povo há de ressuscitar também; é um assunto de necessidade evangélica Não tem lógica mais imperativa que o argumento extraído da união com Cristo. Deus fez os santos um com Cristo, e se Cristo ressuscitou, todos os santos haverão de ressuscitar também.

C.H Spurgeon

Publicado em artigos, Estudos Bíblicos | Marcado com | Deixe um comentário

SERMÃO DE PÁSCOA – Charles Haddon Spurgeon (parte 1)


ressuscitou
“Lembre-se Jesus Cristo, da linhagem de Davi, ressuscitou dos mortos, segundo o meu evangelho” 2º Timóteo 2:8

Charles Haddon Spurgeon

Creio que se Deus tivesse feito que o poder dependesse do pregador e de seu estilo, teria decidido que a ressurreição, a maior de todas as verdades, deveria ser proclamada por anjos e não por homens. Contudo, deixou de lado o serafim por uma das criaturas mais humildes. Depois que os anjos falaram uma palavra ou duas às mulheres, seu testemunho cessou.

O mais relevante testemunho da ressurreição do Senhor foi, inicialmente, o das santas mulheres, e depois por cada um dos discípulos que foram bem incapazes de descrever com eloqüência o que haviam contemplado.

O Senhor ressuscitou verdadeiramente” é a suma e substância de nosso testemunho, quando falamos de nosso Redentor ressuscitado. Basta que saibamos a verdade desta ressurreição, e que sintamos seu poder, para que o modo de nossa pregação seja de uma transcendência secundária, pois o Espírito Santo dará testemunho da verdade, e fará que produza frutos na mente dos nossos ouvintes.

Três ou quatro fatos simples constituem o Evangelho, de acordo com o que expõe Paulo no capitulo quinze de sua primeira Epístola aos Coríntios: Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado e que ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras.”Nossa salvação depende da encarnação, vida, morte e ressurreição de Jesus. Aquele que crê retamente nestas verdades, tem crido no Evangelho, e crendo no Evangelho, encontrará nele, sem duvida alguma, a salvação eterna.

Porém, os homens buscam novidades; não podem tolerar que a trombeta toque o mesmo som inevitável; eles anseiam a cada dia por alguma nova fantasia musical. “O Evangelho com variações”, essa é a musica para eles. Dizem que o intelecto é progressivo, e, portanto, marcharão à frente de seus predecessores. A Deidade encarnada, uma vida santa, uma morte expiatória, e uma ressurreição literal, todos estes são temas que já tem ouvido durante dezenove séculos, e que, portanto, converteram-se um pouco desatualizadas, e que a mente culta tem fome de uma troca do antiquado maná.

Esta tendência era evidente mesmo nos dias de Paulo, e assim, decidiram considerar os fatos como mistérios ou parábolas, e se esforçaram por encontrar um significado espiritual nesses eventos, mas foram tão longe, que chegaram a negar-lhes como reais. Na busca e um significado escondido, passaram por alto o fato mesmo, perdendo a forma mesma em uma insensata preferência pela sombra. Aquele que cria como uma criança foi colocado de lado como um idiota para que o polemista e o escriba pudesse entrar e envolver a simplicidade em mistério e ocultar a luz da verdade. A partir daqui surgiram certos indivíduos como Himeneo e Fileto “que se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição já aconteceu e transtornaram a fé de alguns.” Busquem o versículo dezessete e leiam vocês mesmo. Fizeram da ressurreição como que um vapor; fizeram com que tivesse um significado muito profundo e místico, sendo que a ressurreição real foi completamente removida com este processo. Entre os homens há uma ânsia de novos significados e de refinamentos sobre as velhas doutrinas, e espiritualizações de fatos literais. Com violência arrancam as entranhas da verdade e nos entregam um esqueleto repleto de hipóteses e especulações, e maiores esperanças.

O apóstolo Paulo estava bastante ansioso de que Timóteo se mantivesse firme pelo menos em relação a fé antiga, e que entendesse em seu claro significado os testemunhos de Paulo referentes ao fato de que Jesus Cristo, da semente de Davi, ressuscitou dos mortos.

Até onde vai o alcance deste versículo, registra-se vários fatos: o primeiro encontramos aqui, a grande verdade de que Jesus, o Filho do Altíssimo, foi ungido de Deus; o apóstolo o chama: “Cristo Jesus”, isto é, o Messias, o enviado de Deus. Esse Jesus Cristo foi real e verdadeiramente homem, pois Paulo disse que Ele foi “da linhagem de Davi”. É claro que era divino, e Seu nascimento não ocorreu da maneira comum dos homens, porem ainda assim, participou em todos os sentidos da nossa natureza humana, e veio da linhagem de Davi. Nós cremos nisto também.

Não, em carne verdadeira e sangue verdadeiro o Filho de Deus habitou entre os homens. Ele foi ossos de nossos ossos e carne de nossa carne nos dias de Sua morada aqui na Terra. Nós sabemos e cremos que Jesus Cristo veio em carne. Amamos ao Deus encarnado, e nele temos nossa confiança.

 

Publicado em artigos, Estudos Bíblicos | Marcado com | Deixe um comentário

Buscai e vivei (parte 2)


ezequias clamor
Entristecei-vos, arrependei e chorai. Abandonai o riso fácil e pranteai, trocai a vossa euforia pelo pesar. Humilhai-vos na presença do Senhor, e Ele vos exaltará! (Tiago 4:9-10)

Quando Ezequias ouviu a sentença profética de Isaías , de “arrumar a casa” e que “morreria” e “não viveria” sua atitude demonstra um perfeito arrependimento diante de Deus . No fundo, Ezequias sabia que havia “pisado na bola” em algum momento da sua vida, quando se ensoberbeceu

Assim Diz a palavra de Deus:

Então virou o rosto para a parede, e orou ao Senhor, dizendo:
Ah, Senhor! Suplico-te lembrar de que andei diante de ti em verdade, com o coração perfeito, e fiz o que era bom aos teus olhos. E chorou Ezequias muitíssimo. (2 Reis 20:2,3)

Ezequias, como acontecia com muitos reis, poderia ter ficado chateado com a palavra profética, ter condenado o profeta ou mesmo ter dado mil desculpas.

Porém, diz a palavra de Deus que ele reconheceu que em certo momento havia se ensoberbecido.

A primeira coisa que Ezequias fez foi virar o rosto para parede, que provavelmente estaria ao leste, pois era costume dos judeus orarem em direção onde se encontrava o templo. Independente disso, o fato é que Ezequias se arrependeu com  muitíssimo choro.
Através dessa passagem podemos extrair alguma lições importantes:

1) Se pôs a buscar e clamar ao Senhor –  Ezequias se pôs a buscar ao Senhor quando soube da palavra do profeta.  Diz a palavra do Senhor:

Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.
Serei achado de vós, diz o SENHOR, e farei mudar a vossa sorte (Jeremias 29:13-14a)

Clama a mim, e responder-te-ei.. (Jeremias 33:3)

E foi o que aconteceu com o Rei Ezequias, ele se pôs a buscar e a clamar ao Senhor e teve
sua sorte mudada.  Diz a palavra de Deus que não havendo o profeta Isaías saído do pátio do rei, o Senhor considerou a oração de Ezequias.

Muitas vezes, diante de um prognóstico, de algo que contraria e abate o nosso ânimo acabamos nos vendo perdidos e desesperançosos.  Mesmo sabendo do decreto contrário a sua vida, Isaías se pôs a buscar a Deus e teve seu clamor respondido.

 2) Ezequias se quebrantou diante de Deus – Sabe, a palavra é bem claro ao dizer que um coração quebrantado e contrito não será desprezado por Deus (Salmos 51:17b). Perto está daqueles que tem o coração quebrantado e salva os de espírito abatido (Salmos 34:18).  Muitas vezes buscamos a presença de Deus, mas nossas atitudes não mostram nossa rendição completa. Vemos isso, claramente na passagem da mulher pecadora que ungiu os pés de Jesus com suas lágrimas(Lucas 7:36-38).
Ezequias da mesma forma chorou muitíssimo, se quebrantou diante do Eterno , rendendo sua vida a Deus. Render-se significa entregar-se incondicionalmente, submeter-se, sujeitar-se a alguém.  Essa entrega de alma de Ezequias produziu a visitação de Deus na sua causa.Ezequias se quebrantou diante da Presença do Altíssimo e teve sua sorte mudada.

3) Ezequias justificou-se pela sua vida de temor – Uma coisa importantíssima de Ezequias foi que ele se justificou diante de Deus . Muitas pessoas acham que devemos entregar nossa vida e que se justificar diante de Deus é queixar-se diante Dele.  Mas não é bem assim, existe uma enorme diferença entre justificação (argumentos para defender-se ou a favor de alguém) e reivindicar (protestar, reclamar e exigir algo).  Ezequias não pediu algo para benefício próprio, mas justificou-se diante de Deus com sua vida.

A palavra de Deus diz: Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. (Tiago 4:3)

Muitas pessoas não tem sua oração respondida por Deus, pois a motivação no coração está somente ligada ao egoísmo e ao prazer próprio. Vemos que Ezequias entrou com suas razões e literalmente entrou em juízo com Deus conforme está escrito em Isaías:

Isaías 43.26 – Desperta-me a memória; entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que possas justificar-te.

Temos que entender que cabe a nós apresentar nossas razões, mas cabe ao Senhor a justificação para o livramento segundo a Sua plena Soberania.

4) Pediu confirmação a Deus – Muitas vezes queremos testar Deus com nossa dúvidas e incertezas. No caso de Ezequias a palavra de cura e libertação já havia sido liberada quando o profeta disse:

Assim diz o Senhor, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que eu te sararei; ao terceiro dia subirás à casa do Senhor.
E acrescentarei aos teus dias quinze anos, e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade; e ampararei esta cidade por amor de mim, e por amor de Davi, meu servo.
2 Reis 20:5,6 

Pedir confirmação a Deus não é um erro, até porque segundo a vontade soberana de Deus, pode ser que ela não venha. Mas no caso de Ezequias ele pediu confirmação de uma palavra liberada pelo Senhor, ou seja, a confirmação de algo que aquilo procedia do Senhor.

O Senhor pela Sua misericórdia muitas vezes se manifesta aos homens por seus prodígios. Aliás, os sinais, as curas e os milagres não são os condicionais de Deus para que a palavra se cumpra, mas apenas confirmações da atuação do poder de Deus aos homens.

Temos que entender que o Senhor pode voltar a sombra de 10 graus s e atrasar, o mar se abrir ou se acalmar. Como diz a canção: Se Ele fizer.. Ele é Deus… se não fizer Ele é Deus e continua sendo Deus.

A lição de Ezequias nos faz refletir que nossas atitudes fazem muitas diferença para Deus. Precisamos viver em integridade e sinceridade com Deus não deixando que o orgulho e a soberba nos domine.  Aprendamos também que mesmo diantee um decreto contrário a busca pela Presença de Deus precisa ser a mesma. Se estamos passando por doenças incuráveis, diagnósticos desfavoráveis e o desânimo tenta nos abater precisamos clamar ao Senhor, com quebrantamento, contrição, arrependimento e confissão. Precisamos nos justificar diante Dele, para que sejamos curados, pois sabemos que certamente nos ouvirá e confirmará todas as palavras a nosso respeito.

Publicado em artigos, Estudos Bíblicos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Buscai e vivei (parte 1)


buscai a Deus
Porque assim diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me, e vivei. (Amós 5:4)

A pessoa quando está sendo acometida de uma enfermidade para a morte não possui outra alternativa a não ser buscar a cura que irá trazer de volta a sua vida.

Existem, porém pessoas que não possuem mais amor a vida e se entregam diante das enfermidade e dos problemas.

Dificilmente uma pessoa admite estar doente ou enferma se algo drástico, não venha a acontecer na sua vida. O coração do homem é duro no que se refere ao pecado e admitir que “não estamos bem”, que pecamos é uma virtude de poucos.

As Sagradas Escrituras conta a história a história do Rei Ezequias que recebeu de Deus uma mensagem bastante preocupante. Assim diz a palavra do Senhor:

Naqueles dias, Ezequias adoeceu duma enfermidade mortal, veio ter com ele o profeta Isaías, filho de Amoz e lhe disse: “Assim diz o Senhor, põe em ordem tua casa, porque morrerás e não viverás (II Rs 20:1)

Não é fácil receber uma notícia de um perigo iminente, principalmente quando estamos gravemente enfermos e quando isso envolve também a nossa partida desse mundo.

Mas isso foi o que aconteceu com o Rei Ezequias. Ezequias era o rei de Judá e segundo as Escrituras eram um homem que começou a reinar com 25 anos e seu reinado durou quase 30 anos. Era um homem que confiava em Deus e fazia o que era reto perante Ele (2 Reis 18:1-3). Foi no seu reinado que Judá experimentou um avivamento espiritual e uma reforma cuja influência trouxe grande modificação nos costumes morais e políticos.

Mesmo diante de tudo isso, Ezequias recebeu uma profecia que abalaria sua vida espiritual e a vida daqueles que estavam em “sua casa”.

Vale ressaltar que a vida espiritual de Ezequias era de integridade e retidão. Sobre sua casa, sua família e descendência não havia nada claro nas Escrituras sobre suas atitudes que precisassem de uma repreensão.

Porém no livro de 2 Crônicas mostra que mesmo diante da fidelidade a Deus de Ezequias, podemos tomar atitudes cruciais que podem mudar nossa trajetória.  Diz a palavra de Deus:

E muitos traziam a Jerusalém presentes ao Senhor, e coisas preciosíssimas a Ezequias, rei de Judá, de modo que depois disto “foi exaltado” perante os olhos de todas as nações. Naqueles dias Ezequias adoeceu mortalmente; e orou ao Senhor, o qual lhe falou, e lhe deu um sinal.
Mas não correspondeu Ezequias ao benefício que lhe fora feito; porque o seu coração se exaltou; por isso veio grande ira sobre ele, e sobre Judá e Jerusalém. (2 Crônicas 32:23-25 )

Amados, se existe algo que o Senhor coloca por terra é  a exaltação e a soberba  de um homem, quer ele sendo filho de Deus ou não. A Bíblia diz:

A soberba precede a destruição, e a altivez do espírito precede a queda. Melhor é ser humilde de espírito com os mansos, do que repartir o despojo com os soberbos. (Pv 16: 18-19)

Portanto, todo aquele que a si mesmo se exaltar será humilhado, e todo aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.(Mt 23:12)

Essa exaltação que é referida não é um ânimo exacerbado, uma gabação, mas o sentido está ligado a origem do hebraico Alayv , (Alliah, Alah )que deu origem também a palavra em arábe Alah que significa ascensão , subir além ou ir para cima. Resumindo exaltado era aquele que em seu coração queria ser semelhante a Deus.

Aliás, Lúcifer foi lançado por terra devido sua altivez e sua exaltação nesse sentido.  (Isaías 14:12).Conforme está escrito:

E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. (Isaías 14:13,14)

E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.(Isaías 14:15)

Diz as Escrituras que foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos — Apocalipse 12:9.

Não é a toa que muitos imperadores cruéis (Herodes), ditadores implacáveis(Hitler)  e déspotas de todos os tempos ( gerações passadas ou mesmo dessa geração) tiveram seu destino traçado pelo Eterno devido as suas supras exaltações.  Podemos entender com isso, que o Senhor os tempos antigos como no de  Ninrode abate o homem que deseja ser semelhante a Ele.

E isso não foi diferente com o fiel Ezequias que mesmo ter uma vida espiritual correta diante de Deus “derrapou na curva” de sua vida e quase a teve ceifada.

Por isso, vigiemos em nosso modo de pensar e agir , pois podemos pecar grandemente e ter nossa vida comprometida através de pequenas  atitudes que para Deus podem ser cruciais.

Ezequias reconheceu isso e na continuação deste estudo abordaremos essa questão, mas que estejamos preparados com as pequenas atitudes, que muitas vezes podem ser cruciais e não sejamos pegos de surpresa pela exaltação própria ou por aquilo que temos ou somos.

Que possamos reconhecer quando as situações favoráveis  nos fazem “subir a cabeça” uma coroa e um mérito que não é nosso, mas do próprio Deus.

O apóstolo Tiago nos  ensina em sua epístola quanto a necessidade de vivermos uma vida de busca por Deus e entrega total a Ele. Uma busca que reconhece sua limitações e pecados. Uma vida longe da soberba, do orgulho e da exaltação de ser semelhante a Deus.

Diz assim a epístola de Tiago:

Por isso diz a Escritura: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”. Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao diabo, e ele fugirá de vocês.Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês! Pecadores, limpem as mãos, e vocês, que têm a mente dividida, purifiquem o coração.
Entristeçam-se, lamentem e chorem. Troquem o riso por lamento e a alegria por tristeza.
Humilhem-se diante do Senhor, e ele os exaltará.
Tiago 4:6-10

 

Publicado em artigos | Deixe um comentário

Andando intimidado ou vivendo em intimidade ? (parte 2)


ADORADOR

A intimidade do SENHOR é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.” (Salmos 25:14.)

Como dissemos no estudo anterior podemos viver de 2 maneiras ou intimidado pelo inimigo, circunstância ou pelo pecado ou viver na intimidade com Deus.

2) Viver na “intimidade” com Deus – Podemos viver na intimidade de Sua busca  agradando-o de todo nosso coração,  segundo Sua perfeita Vontade, buscando seus segredos , conhecendo quem Ele é de fato.

Através disso, dessa intimidade, conhecemos a natureza de Deus e a também a  nossa própria , diante do propósito celestial numa  vida de temor e amor.Em contrapartida ao andar em intimidado, a intimidade com Deus além de produzir a verdadeira liberdade gera preciosos frutos na vida do crente.   A palavra do Senhor diz:

Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.
Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. (Gálatas 5:16-18)

Como já foi dito, o Senhor nos liberta de medos,de pecados, da intimidação do diabo e da condenação da lei.  Tudo isso, porque a intimidade com Deus produz uma aliança profunda com o homem, cuja lei não está baseada em ordenanças punitivas de pedra, mas em mandamentos de amor escritos no interior (consciência) do homem.  Como está escrito:

Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. (Jeremias 31:33)

Não podemos viver em intimidade com Deus se não nossa liberdade e busca é condicionada por leis e mandamentos humanos.  É através da graça de Deus (favor imerecido) que entendemos a diferença entre medo e temor.  Paulo diz aos gálatas que aqueles que buscam se justificar na Lei, da Graça decaístes (Gálatas 5:4)

A intimidade com Deus é o resultado de uma vida no Espírito, ou seja, quanto mais me consagro, mais recebo da Sua Unção, mais  me aproximo Dele  e de Sua Vontade.

Uma vida cuja esperança e justiça provem da fé em Cristo Jesus que atua pelo amor  e nada mais.(Gálatas 5:6).

Paulo ressalta que essa liberdade não é para ser usada em atitudes carnais , mas antes pelo serviço a Deus e aos homens, sendo servos uns aos outros em amor. (Gálatas 6:13).

 

Publicado em artigos, Estudos Bíblicos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário