Coração em Chamas – Vivendo a fascinação por Cristo


coracoes ardentes

E disseram um para o outro: Porventura não “ardia em nós o nosso coração” quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras? (Lc 24:32)

… porque todo o povo estava “fascinado” pelas suas palavras. (Lc 19:47-48b).

 

Sabe, queridos, se existe algo que é necessário para que se viva uma vida cristã plena é ter o coração incendiado pela Presença de Deus.  Não se pode esperar
muita coisa, no serviço do Senhor, em  pessoas que não deixam seu coração ser “incendiado” pelo Fogo do Espírito. E quando cito isso não falo de  manifestações ou movimentos espirituais , mas algo que vem de dentro para fora, de pessoas que permitam que seu coração seja tomado pela Presença de Deus.

Certa vez disse: Dr. George W. Peters: “Deus, a igreja e o mundo estão à procura de homens com corações em chamas – corações cheios do amor de Deus; cheios de compaixão pelos almas, tanto da igreja quanto do mundo; cheios de paixão pela glória de Deus, o Evangelho de Jesus Cristo e a salvação dos perdidos”.

E também outro homem de Deus, Martin Lhoid-Jones, famoso pregador inglês disse que a pregação dever ser a teologia que procede de alguém que está em chamas.

Uma das coisas mais interessantes do ministério de Jesus nesta Terra foi o modo que Ele fascinava o povo através da Palavra a Deus.  Diz as Escrituras que muitas pessoas estavam admirados com as palavras de “graça” que saiam de seus lábios (Lucas 4:22).

Digamos que Cristo atraia as pessoas pela graça e unção que havia Nele  e isso era o que o diferenciava dos religiosos da época.  Diz as Escrituras:

Chegando à sua cidade, começou a ensinar o povo na sinagoga, de tal maneira que as pessoas se admiravam, e exclamavam: “De onde lhe vem tanta sabedoria e estes poderes para realizar milagres? (Mateus 13:54). 

Vemos que enquanto muitos ficavam tocados pela Presença de Deus na vida de Jesus, outros religiosos ficavam incomodados com a Unção que procedia Dele questionando-o de onde vinha sua procedência e poder. (Mateus 12:24; 13:55).

Essa mesma situação também acontece em nossos dias, pela religiosidade e indiferença de algumas pessoas que preferem ficar na  superficialidade da religião,  na “periferia da Presença ” e na  “margem do Caminho”. Muitos querem ficar na margem e não querem andar no bom caminho e na Vontade Deus, pois querem continuar a depender de si para tudo.

Como diz as Escrituras:

“Assim diz o SENHOR: Ponde-vos à margem no caminho e vede, perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho; andai por ele e achareis descanso para a vossa alma; mas eles dizem: Não andaremos.” Jeremias 6:16

Queridos, os discípulos no caminho de Emaús, por dependerem de si,  se encontravam perdidos, desesperançosos, e incrédulos, mas quando se depararam com Cristo, algo foi modificado na vida deles. É claro que demorou algum tempo para eles identificarem que “naquele caminho”, Cristo estava com eles. Mas quando o Senhor falava com propriedade das Escrituras, o coração daqueles discípulos ardia e queimava, sendo eles fascinados pela Sua Palavra.

Amados, a fascinação por Jesus precisa “arder no coração de cada crente”, de cada cristão. Um crente que deixa de ser fascinado pelas palavras de Cristo e deixa seu coração esfriar e endurecer por qualquer circunstância produzirá certamente uma vida de religiosidade aparente ao invés de uma intimidade profunda com Deus. Essa foi a diferença entre Cristo e os religiosos fariseus. Essa é a diferença de Cristo e a religião, entre um ser religioso e um ser espiritual. É a intimidade com o Senhor que produz unção e vida. É a intimidade com o Senhor que produzirá fascinação pela Palavra de Deus. 

O salmista Davi soube expressar isso muito bem quando disse:

Esquentou-se-me o coração dentro de mim; enquanto eu meditava se acendeu um fogo; então falei com a minha língua: (Salmos 39:3)

Davi entendia que somente o meditar na palavra de Deus acendia um fogo que o consumia por dentro a ponto de de não deixar-lo em silêncio.  Ele entendia que precisava ser
“reavivado pela Palavra”.  Muitas vezes estamos fracos, desanimados, angustiados e perdidos em nossos caminhos. As vezes a situação é tão desfavorável que o silêncio é a melhor solução ou a melhor coisa a ser feita.  Mas o silêncio na dor é algo que muitas vezes aperta , que acaba por “secar os ossos”.(Sl 39:2;32:3).  Essa sensação de morbidão e morte espiritual consome muitas pessoas devido as angústias e as aflições.  Também a monotonia, a indiferença e a frieza espiritual nos leva a nos distanciar do propósito de Deus.  É por isso que a palavra de Deus precisa estar “queimando” em nossos corações,
mas “impregnada” e escondida no nosso espírito, para que possamos afastar sentimentos que nos levam para longe de Deus e do seu propósito em nossas vidas.  Como diz o salmista:

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. (Salmos 119:11).

No Antgo Testamento o fogo do Altar precisava estar aceso continuamente para que o sacrifício agradável se achegasse a Deus. (Lv 6:12-13).   Da mesma forma, nossos corações precisam estar “queimando” no altar de Deus continuamente. O fogo do Espírito de Deus precisa queimar  em nosso coração para que possamos também incendiar as outras pessoas com a unção de Deus. Precisamos ser fervorosos no Espírito . como diz Romanos 12.

“Nunca lhes falte o zelo, sede fervorosos no Espírito, servindo ao Senhor.” Romanos 12:11

Esse zelo refere-se a um cuidado, dedicação e  interesse . Já fervor refere-se a algo ardente, intenso, fervente e que exala calor.

Precisamos ter essas duas virtudes em nossa vida espiritual com Cristo.  Precisamos ter fome da Palavra de Deus e fervorosos no Espírito para que muitos possam se achegar a Deus e a Sua Palavra.

Sabe, queridos, a palavra de Deus não é um livro para ser admirado , idolatrado ou intocável como sagrado, mas é para ser devorado, ou seja, devemos ter uma fome insaciável  como um alimento imprescindível para todo crente.  Quando Jesus ensinava a Palavra estava alimentando aqueles discípulos e direcionando seus caminhos .

Quando a tua Palavra foi encontrada, eu comi cada frase e as digeri em meu íntimo; elas me nutrem dia após dia, são minha satisfação e júbilo maior; porquanto teu Nome foi invocado sobre mim, isto é, pertenço a ti!  (Jeremias 15:16)

Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.
(Salmos 119:105)

A palavra precisa estar acesa em nós para que possamos ser direcionados em nosso caminho. Mas infelizmente, somos como os discípulos no caminho de Emaús que não perceberam quando o Verbo Vivo andava com eles no caminho. Por incredulidade achamos muitas vezes que o Espírito Santo está longe e que a Presença de Deus está  muito distante de nossa vida. Mas quando deixamos que a Palavra de Deus invada nosso ser, tudo se esclarece e encontramos o verdadeiro caminho (Lucas 24:32-36) .

Amados, que possamos queimar nosso coração diante da Presença Dele, buscando sua face em intimidade,na revelação da Sua palavra e conhecendo a Sua perfeita Vontade.  Que sejamos aperfeiçoados na unidade do Corpo , aumentando nossa comunhão para que o nome do Senhor seja conhecido e engrandecido entre os homens.
Meu desejo é que o Senhor venha acender a cada dia em nós do Seu fogo , da Sua Presença, se revelando a nós em intimidade, tendo cada vez mais comunhão conosco e mostrando qual o melhor caminho a seguir.

 

 

Apenas uma canção de amores


cancaodeamor2

E eles vêm a ti, como o povo costumava vir, e se assentam diante de ti, como meu povo, e ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra; pois lisonjeiam com a sua boca, mas o seu coração segue a sua avareza. E eis que tu és para eles como uma canção de amores, de quem tem voz suave, e que bem tange; porque ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra.(Ez 33:31) 

Sabe amados, vivemos num tempo onde muito se fala de adoração ao Senhor, com congressos diversos e com as famosas frases clichês do meio evangélico do tipo:
“Deus está levantando uma geração de adoradores que adorem em Espírito e em verdade”

Também temos ouvido muita canções que falam de amor, do Amor do Pai e também muitas declarações de amor dos filhos de Deus. Mas adoração é mais que ouvir ou cantar uma bela canção, mas algo que vai além disso. Adoração não apenas é um estilo de música, mas um estilo de vida. A adoração é algo que sai de dentro para fora(do interior ao exterior) Adoração envolve acima de tudo, obediência, rendição e tributo ao Senhor. Esses três princípios são fundamentais para quem deseja adorar ao Senhor ser usado por Ele.

Deus não quer apenas a glória do “nosso louvor” , mas que sejamos o louvor da “Sua Glória” . 

O Senhor não divide Sua Glória com ninguém, mas deseja ser glorificado pelo Seu povo, por aqueles que O buscam (Lv 10:3).  Como aconteceu com Moisés, Sua Glória somente passará por nós, quando nos colocarmos sobre o estreito da Rocha. (Ex 33:22). E a Rocha é Cristo.
Muitas vezes essa posição estreita no Senhor exigirá mais que declarações de amor, mas uma vida de abnegação e obediência.  Jesus Cristo mesmo disse que aquele que o ama é aquele que guarda seus mandamentos. Como está escrito:

 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.(Jo 14:21)

No tempo do profeta Ezequias diz as Escrituras que o povo até se assentava para ouvir a palavra de Deus, porém não o colocavam em prática. O apóstolo Tiago fala algo bem interessante:

“Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negli-gente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar”  (Tiago 1:23-25).

De nada adianta clamar e louvar ao Senhor , se não damos reverência a Ele com nosso testemunho de vida. Será que vale muito estrépido(barulho,ruído), se não aprendermos a ouvir a Sua doce Voz e a praticá-la?
Do que basta festas e sacrifícios esporádicos se são buscarmos ser justos diante Dele diariamente ?

Diz a palavra do Senhor:

Odeio, desprezo as vossas festas, e as vossas assembléias solenes não me exalarão bom cheiro.  E ainda que me ofereçais holocaustos, ofertas de alimentos, não me agradarei delas; nem atentarei para as ofertas pacíficas de vossos animais gordos.  Afasta de mim o estrépito dos teus cânticos; porque não ouvirei as melodias das tuas violas. Corra, porém, o juízo como as águas, e a justiça como o ribeiro impetuoso.(Amós 5:21-24)

Fico feliz ao ver uma geração se levantando para adorar Aquele que vive e reina para todo sempre. E verdadeiramente  vivemos no tempo onde o que mais se ouve são canções de adoração e intimidade com Deus.  Muitas dessas  retratam  em muito a intimidade sincera que a noiva deve ter com seu amado, ou seja, Cristo. É como se a revelação do livro de cantares e dos salmos fossem reveladas em canções que declaram a beleza da Santidade do Senhor e como devemos nos relacionar com Ele. E diferentemente de  outras épocas as canções de nosso tempo mostram muito mais esse lado  intimista,poético e “amoroso” entre a Igreja e seu Noivo.

Gostaria, queridos, antes de mais nada, de dizer que sou a favor de uma adoração pública  que exalte o nome do Senhor através de declarações de amor . Entendo que vivemos um tempo diferenciado como Igreja, onde se faz necessário declarações  de forma direta e espontânea a Ele. Um adoração  vertical(do homem a Deus) que liga o Céu a Terra e  que exaltem as virtudes do Noivo e os anseios da Noiva. Tudo isso, afinal é o que nós como Igreja esperamos, o dia da consumação das Bodas, onde o Noivo (Jesus)  irá buscar Sua noiva (Igreja). Enfim, palavras de amor são importantes num relacionamento, mas sabemos que o que sustenta um relacionamento não “apenas canções de amores” , mas atitudes de cumplicidade , fidelidade , obediência e submissão.

A palavra de Deus diz que “obedecer é melhor que sacrificar” (1 Sm 14:22)

Embora essas declarações de amor sejam algo positivo diante da indiferença, morbidão, religiosidade e apatia de uma Igreja legalista e formal o fato é que
isso tudo pode ao mesmo tempo ser algo perigoso ,  obscurecido e prejudicial diante das máscaras da  hipocrisia religiosa. Vemos que os judeus eram religiosamente “adoradores”, recitavam salmos e cânticos, mas não adoravam em espírito e verdade. Sobre eles não havia o Espírito do Senhor, mas uma falsa intimidade com Deus.

Do que adianta o cântico na boca, se o coração está longe ?  

Eis que assim declara o Eterno: “Visto que este povo se chega junto a mim apenas com palavras sem atitude, e me honra somente com mover dos lábios, enquanto seu coração está muito distante da minha pessoa. E a adoração que me prestam é constituída tão somente de regras e doutrinas criadas por homens (Is 29:13)

A mesma palavra foi repetida no livro de Mateus

Este povo me honra com os lábios, mas seu coração está longe de mim.Em vão me adoram; pois ensinam doutrinas que não passam de regras criadas por homens’”. (Mateus 15:8).

Quando falamos em regras e doutrinas não é algo somente voltado as Sagradas Escrituras, mas tudo que envolve o culto a Deus.

Tenho dito sempre que o culto a Deus não começa no domingo, mas no primeiro dia da semana onde começamos com nossa vida a glorificar a Deus com nosso testemunho.
Infelizmente há muitas pessoas nesse meio gospel, líderes, cantores, bandas e outros “artistas” cuja vida pessoal é totalmente inversa a que se prega, canta e adora.

Será que vale o muito cantarolar se não aprendemos ainda a deixar algo de nós no altar ?
Do que adianta sermos belos por fora e profanos por dentro ?
Será que nosso discurso não passa de canções de amores num culto e nada mais ?

Amados, Adoração é mais que se agitar dentro de um templo é sacudir o mundo com uma vida que agrade a Deus.

Por isso, que possamos aprender que o Senhor não aceita apenas lisonjas humanas, mas um coração sincero e contrito. Um coração que busca agradar ao Senhor de todo coração, com sua atitudes e não somente com de boca.  Pois o verdadeiro adorador  é aquele que acima de tudo teme ao Senhor e buscar guardar a Sua Palavra

Como diz a palavra do Senhor:

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele. (João 14:21)

 

Reparadores de Brechas (parte 3)


 

isaias58-

Eles reconstruirão as velhas ruínas e restaurarão os antigos escombros; renovarão as cidades arruinadas que têm sido devastadas de geração em geração. Gente de fora vai pastorear os rebanhos de vocês; estrangeiros trabalharão em seus campos e vinhas. Mas vocês serão chamados sacerdotes do Senhor, ministros do nosso Deus. Vocês se alimentarão das riquezas das nações, e no que era o orgulho delas vocês se orgulharão.(Isaías 61:4-6)

A palavra em hebraico para restaurador de brechas ou veredas é Gadar-Peretz. Gadar significa aquele que constrói um muro, que edifica algo, que repara algo. Peretz ou  Perez vem do hebraico  e significa “irromper”. Irromper significa entrar com ímpeto, subitamente e com violência(força). Romper é agir  ousadamente, com força, quebrando algo duro e intransponível.  A palavra do Senhor diz:

Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele.(Mateus 11:12)

João Batista é um exemplo de reparador de brechas no NT, pois pregava com ousadia e sem medo, a mensagem  das boas novas do Reino que envolvia o arrependimento e o retorno a Deus.

Aliás, Teshuvá em hebraico significa justamente isso, ou seja, o  retorno a Deus (conversã0),a resposta, mas também de um arrependimento profundo e sincero .

Mas João Batista precedeu um homem que ele mesmo testificou que não era digno de desatar-lhe a  sandália. João Batista testificou sobre Cristo, o maior reparador de brechas

O profeta Isaías é considerado o profeta mais messiânico, pois muitas das sua profecias tiveram o cumprimento na pessoa de Jesus Cristo. Em uma delas, relatada no capítulo 61 o profeta relata que viria o ano aceitável do Senhor  (Jubileu) e que nesse tempo o Senhor restauraria a nação de Israel, a cidade de Jerusalém e seu templo seriam reconstruídos.
O interessante deste relato de Isaías é que no jubileu, no ano aceitável todos os pobres e os desfavorecidos daquela nação teriam suas dívidas perdoadas, bem como, os escravos a sua liberdade. Não é a toa que Jesus disse isso de si mesmo em Lucas 4.16-21:

O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados de coração,A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos, A anunciar o ano aceitável do Senhor.
(Lucas 4:18,19 )

O ano aceitável acontecia em Israel de 50 em 50 anos, naquilo que chamamos de Jubileu, entre algumas de suas ordenanças estavam a libertação dos escravos hebreus e socorro para os desfavorecidos (endividados,necessitados e excluídos). Naquele ano também o solo ficava sem plantação e  a terra retornava ao seu antigo dono. Por tudo isso, o jubileu judaico era o tempo da restauração.  Quando o verdadeiro reparador de brechas, Jesus veio a esta Terra ele estava dizendo literalmente: Eu vim para restaurar todas as coisas, pois todas as coisas me foram me dadas pelo Pai (Mt 11:27).

Como aconteceu em outras vezes na história de Israel , o Senhor Jesus a negligência de líderes com as coisas de Deus.  Ele viu o estrago espiritual e foi com seu próprio corpo que Ele destruiu e reconstruiu o templo espiritual.

Como está escrito:

Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei.
Disseram, pois, os judeus: Em quarenta e seis anos foi edificado este templo, e tu o levantarás em três dias? Mas ele falava do templo do seu corpo.
João 2:19-21

Sobre Cristo testificou Zacarias:

E fala-lhe, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eis aqui o homem cujo nome é RENOVO; ele brotará do seu lugar, e edificará o templo do SENHOR.
Ele mesmo edificará o templo do Senhor, e ele levará a glória; assentar-se-á no seu trono e dominará, e será sacerdote no seu trono, e conselho de paz haverá entre ambos os ofícios.
Zacarias 6:12,13

Jesus, mesmo edificará a sua Igreja e a porta do Hades(Inferno) não prevaleceria sobre ela. (Mateus 16:18).  O profeta Isaías nos versículos 4 a 6 de Isaías 61 diz  também que uma nova geração de estrangeiros (gentios) iriam reconstruir e tapar as brechas deixadas pelos judeus. E realmente uma nova geração tem tapado todo tipo de brechas da religiosidade e da apostasia.  Na verdade essa edificação não é física, mas espiritual. Gente de fora irá pastorear o rebanho e trabalhar na Vinha do Senhor.

Deus tem levantado nesses dias uma geração de reparadores de brechas que além de interceder,  eles levantarão o Tabernáculo caído de Davi, ou seja, reerguerão o lugar da adoração de Deus. Como está escrito:

Naquele dia tornarei a levantar o tabernáculo caído de Davi, e repararei as suas brechas, e tornarei a levantar as suas ruínas, e o edificarei como nos dias da antigüidade;
Amós 9:11-11

Essa geração que se levantará em Cristo  irá romper com a religiosidade e com os paradigmas religiosos que impedem das pessoas se achegarem a Deus e a Sua Presença

Por isso, queridos é hora de romper ! É hora de restaurar ! É hora de mudar !

É hora de reparar nossa vida diante de Deus e começar a construir muros espirituais !
o veredas para que nelas vivamos.(Is 58:12)

É hora de edificar, plantar e colher

Conforme esta escrito:

Eis que vêm dias, diz o Senhor, em que o que lavra alcançará ao que sega, e o que pisa as uvas ao que lança a semente; e os montes destilarão mosto, e todos os outeiros se derreterão. E trarei do cativeiro meu povo Israel, e eles reedificarão as cidades assoladas, e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho, e farão pomares, e lhes comerão o fruto. E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra que lhes dei, diz o Senhor teu Deus. (Amós 9:13-15)

Reparadores de Brechas (parte 2)


 

muros coracao

Algum tempo depois Joás decidiu fazer reparos no templo do Senhor. (2 Crônicas 24:4)

E recebam-no os sacerdotes, cada um dos seus conhecidos, e reparem os estragos da casa, todo estrago que se achar nela.
Sucedeu porém que, no vigésimo terceiro ano do rei Joás, os sacerdotes ainda não tinham reparado os estragos da casa. Então o rei Joás chamou o sacerdote Jeoiada e os demais sacerdotes, e lhes disse: Por que não reparais os estragos da casa? Agora, pois, não tomeis mais dinheiro de vossos conhecidos, mas entregai-o para o reparo dos estragos da casa. (2 Reis 12:5-7)

Ministrada no B’seter 

As Sagradas Escrituras nos mostram algumas pessoas que o Senhor levantou para serem usadas em sua geração como  “reparadores de brechas”.

A primeira citação sobre o termo “reparadores de brecha” se encontra no livro de 2 Reis capítulo 12. Neste livro conta a história do Rei Joás, um homem reto perante o Senhor que ao iniciar seu reinado pede aos seus sacerdotes  que  “repararem o templo” que já se encontrava totalmente destruído ,  sujo e em ruínas. Devido ao negligência de alguns líderes maldosos , bem como, de Atália, filha de Jezabel, o templo ficara em ruínas, sendo que até as coisas sagradas foram entregues aos baalins (outras divindades). (2  Cr 24:7).  A palavra de Deus diz que veio no coração de Joás de renovar a casa de Deus e foi designado aos sacerdotes e levitas  angariar recursos para o investimento no templo. Porém diz as Escrituras que apesar deste pedido, os levitas não se apressaram para fazer essa obras, o que muito atrasou o propósito de Deus para aquela geração. (2 Cr 24:5).

Sabe, amados, muitas vezes como aqueles levitas, deixamos que nosso templo espiritual, ou seja, nosso corpo seja destruída pelo inimigo  e nossa vida suja pelo pecado da desobediência e da  negligência aos princípios de Deus.

Muitas vezes entregamos nossa vida em sacrifício em prazeres efêmeros e não investimos na nossa vida espiritual, algo que é importante para o Senhor.  Vemos que o Senhor colocou no coração do seu servo a vontade de renovar aquele templo, mas muitos negligenciaram se atrasando em fazer essa obra, que acima de tudo significava o lugar onde habitaria a Presença do Altíssimo. Aquele templo precisava de reparos, mas ninguém havia notado a necessidade de repara-lo. Muitas vezes a insensibilidade espiritual junto a um coração impenitente faz com que as coisas continuem num estado de inércia na vida de muitas pessoas que poderiam ser grandemente usadas por Deus.

Somente um coração sensível ao Espírito Santo consegue entender o que é preciso ser
reparado e tem ânimo e persistência para mudar todo aquele quadro.

Neemias , juntamente com Esdras, foi também  um reparador de brechas, pois vendo as ruínas do templo queimados não exitou em buscar reedificar aquele templo. Diz a palavra de Deus que assentado, chorava, jejuava e orava ao Senhor com muito lamento. Vemos que Neemias não ficou lamentando a derrota do seu povo perante o inimigo, nem culpou o Senhor pela perda, mas entendeu que aquilo que havia acontecido era o resultado do distanciamento dos seu compatriotas do Eterno. Neemias não ficou no lamento, mas se pôs a jejuar e orar (Ne 1:4)
A palavra de Deus mostra que o conteúdo da oração de Neemias foi baseado na confissão de pecados e no arrependimento do seu povo.  Neemias se quebrantou diante de Deus e como intercessor rogou pela misericórdia de Deus (Ne 1:6-7). Ele também se justificou na Palavra de Deus (Ne 1:5;8-11) Além disso foi em busca de recursos para aquela grande obra.

Esdras, que significa ajudador, também  foi um desses reparadores que fora designado primeiramente para trazer de volta os cativos da Babilônia  a Jerusalém e depois de reconstruir o templo. Esdras, sendo sacerdote e escriba, tinha como objetivo principal trazer novamente a Palavra de Deus ao seu povo voltando a ter uma identidade com o Eterno.

Deus procura pessoas que fiquem na brecha !!!

E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei. (Ezequiel 22:30) 

O profeta Ezequiel relata que o Senhor busca pessoas que “tapem as brechas”, ou seja, que
intercedam pelo pecado deste povo e pela terra que vivem.  Esta “intercessão” não se resume apenas ao orar para Deus em favor de alguém ou algo, mas também na praticidade de “edificar algo que esteja destruído” quer seja um lugar, uma pessoa ou uma nação.
A preocupação de Deus sempre foi que um “justo” se levantasse e se justificasse entre os ímpios para que o Senhor não destruísse. Lembremos de Noé.. e Abraão por exemplo que foram modelo de homens que com sua atitude se colocaram na brecha por sua geração (Gn 7:1; Gn 18:22-32).  É claro que  alguns casos essa intercessão pode ser  negada pelo Senhor (como vemos em Ezequiel 14:13-14)  o fato é que o Senhor procura pessoas que subam as brechas conforme está escrito:

Não subistes às brechas, nem reparastes o muro para a casa de Israel, para estardes firmes na peleja no dia do SENHOR.(Ezequiel 13:5)

O Senhor nessa passagem mostra que muitos desses que não subiram para reparar as brechas nada mais eram que “profetas insensatos” que nada veem, nada ouvem e nada fazem. (Ezequiel 13:3)

Mas como foi falado anteriormente, o Senhor procura pessoas que não fiquem no discurso, mas que colocam sua vida para tapar as brechas, os buracos deixados por profetas néscios ou falsos profetas.  O pior desses falsos profetas é que se levantavam para profetizar mentiras que incentivavam o homem a continuar pecado e abertura de mais brechas.  A Bíblia fala que o templo precisava de reparos e de investimento , pois fora negligenciado por líderes maldosos. Havia muita sujeira (pecado)no meio daqueles profetas e intercessores. Mas como diz a palavra não existe nada em oculto que não venha a ser revelado. (Mc 4:22). Precisamos entender que o Senhor detesta a hipocrisia religiosa e que
antes de querer tapar as brechas na vida dos outros, precisamos e busquemos tapar as nossas próprias. Então um princípio elementar para um reparador de brechas é que esse vivia uma vida de retidão diante de Deus.  O reparador precisa ter uma vida “limpa”  e irrepreensível diante Dele (Filipenses 2: 15 e  1 Tessalonicenses 2:10-12; 5:23; Judas 1:24).

Outro princípio é que tenha disposição para ouvir e servir. (Ex 19:5; Dt 28:1 e João 12:26)

Queridos, se atente para isso: “Se você não ouvir atentamente Deus lhe chamar , o Senhor vai levantar outros para lhe servir e O adorar”.  O Senhor chama hoje os reparadores de brecha dessa geração para que façam a diferença , não mais como foram “seus pais”,
seus antepassados cuja brecha é motivo de vergonha e zombaria. Reparadores que não buscam  viver conforme viveram seus pais na religiosidade, mas buscam reparar
aquilo que foi destruído vivendo uma vida de retidão e justiça na intimidade do Altíssimo.

Creio que o templo que primeiramente precisa ser construído está relacionado a nossa vida devocional e de adoração. A adoração ao Senhor que atrai a Sua Presença. Um templo sem a presença é como qualquer outro. Uma pessoas que vivam sem a unção do Senhor é tudo, menos um instrumento de honra nas Suas mãos.
Creio que uma  nova  geração se levantará em nossa nação para remover a sujeira do pecado de templo destruído de outrora e erguer novamente um lugar santo, um templo de adoração ao Deus vivo.

Como está escrito:

Am.9.11- Naquele dia tornarei a levantar o tabernáculo caído de Davi, e repararei as suas brechas, e tornarei a levantar as suas ruínas, e o edificarei como nos dias da antigüidade

Se você não clamar..as pedras clamarão !


pedras clamarao

E, respondendo ele, disse-lhes: Digo-vos que, se estes se calarem, as próprias pedras clamarão. (Lucas 19:40)

Certa feita,  em Jerusalém ,antes da destruição templo, alguns religiosos judeus incomodados com a ovação ao Cristo fizeram um pedido inusitado a Ele : Mestre Ele repreende seus discípulos . (Lc 9:39). Jesus disse que se seus discípulos ficarem calados, as próprias pedras clamariam.  E foi o que aconteceu, pouco tempo depois, as próprias pedras clamaram e o templo de Deus foi destruído.  Nessa mesma ocasião, Jesus chora pela cidade, pois eles haviam rejeitado a salvação do Seu filho e não conheceram o tempo da Sua Visitação.

pedra clamarao 2
Sabe, amados, creio que estamos num tempo onde precisamos “urgentemente” clamar ao Senhor por arrependimento e anunciar a salvação.
Faz alguns dias amados tive um sonho sobre “terremotos” em nossa nação. Relatei isso a minha esposa Damares.. o quanto achei estranho aquele sonho e tal no foi minha surpresa ao ver que houve “pequenos tremores” de terra justamente no lugar
que mostrara na nação. Bom, queridos, embora tenha me acovardado em relatar isso..a muitos.. o fato é queridos que o Senhor está mostrando ainda diante de tantas calamidades, que as vezes parece pequenas.. que é necessário clamarmos ao Senhor dizendo como o profeta Joel: “Poupa a teu povo, ó Senhor..” (Joel 2:17)
Esse tem sido o meu clamor, amados,nesses dias.. para o Senhor.. poupar a nossa nação e o aqueles que se chamam pelo Seu nome da vergonha, das pestes..dos tremores, das calamidades,  e tudo que há de vir..ainda.. O mais interessante e pra não dizer triste é que alguns desses lugares que visitados por essas coisas(embora a nação toda seja afetada) são lugares onde tivemos os maiores “focos de avivamento”, ou seja, lugares onde a Presença de Deus habitou grandemente nessa nação, mas que hoje sucumbiu a religiosidade e a corrupção.
Diante dele tremerá a terra, abalar-se-ão os céus; o sol e a lua se enegrecerão, e as estrelas retirarão o seu resplendor.(Joel 2:10).
Amados, o Senhor tem permitido que o Brasil seja sacudido por essas coisas e através de ainda pequenos “sinais” na Terra nos alertado e tem demonstrado que é necessário.. que venhamos  da mesma forma sacudir nossa nação e voltemos as velhas práticas, ou seja, para a Sua palavra, que voltemos as primeiras obras e voltemos ao primeiro amor.
Pedras-clamarao1

Um Teshuvá sincero.. tem sido necessário para esses dias na Igreja Brasileira.. e sei que o Espírito Santo tem incomodado a pastores e líderes..que guiados pelo Espírito mudarão sua forma de agir e proceder.. voltando a prática da  oração (casas e movimentos de oração serão criadas), a adoração sincera(sem show) subirá como perfume.. a prática de boas obras (ministérios de assistência e serviço) serão estabelecidos  e a palavra de santidade e justiça de Deus estarão no nossos lábios (e no nosso coração).

Outros, porém,  por ainda viverem um sistema religioso , de consumo e não de provisão não deixarão que o Espírito do Senhor faça as modificações que precisam ser feitas tanto a nível espiritual quanto ao governo terreno desta nação.  Foi o que aconteceu na época de Jesus esperavam um Rei, um governador “terreno” que governasse com justiça, modificando a escravidão da injustiça e da opressão. Mas o problema era espiritual,não somente de gestão, pois  a iniquidade do povo, seu distanciamento de Deus e as suas práticas santas haviam sido abandonadas.

Da mesma forma, o Senhor quer trabalhar na nação brasileira, mas entendo que um “espírito de rebeldia e soberba” venha em oposição a essas mudanças que o Senhor deseja em nossa nação. Mas é nessa hora que precisamos nos levantar e clamar pedindo pelo lugar que o Eterno nos colocou para nascer e viver.

Queridos, estamos vendo apenas o início daquilo que o Senhor tem permitido para nossa nação. Deus permite cativeiros para que sejamos livres, permite a destruição do templo,
para que Sua Presença habite novamente.

O Senhor deseja que a nação volte para ele e se renda novamente.

Nunca despreze os pequenos começos, pois Deus levanta reparadores de brechas como Zorobabel, Esdras, Neemias e Joao Batista.. e como eu e você..

Se não clamarmos as pedras clamarão para  anunciar que perto está a Salvação..
Lembre-se disso.. Se não levantarmos nossa voz  com de trombeta as pedras clamarão os sinais da Sua Volta..

Tocai a trombeta em Sião, e clamai em alta voz no meu santo monte; tremam todos os moradores da terra, porque o dia do SENHOR vem, já está perto; (Joel 2:10)

O dever do atalaia de Deus (parte 2) – Atalaias Cegos


atalaiacego

Os teus atalaias são cegos, nada sabem,todos são cães mudos, não podem ladrar, sonhadores preguiçosos, gostam de dormir. Tais cães são gulosos, nunca se fartam; são pastores que nada compreendem, e todos se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, todos sem exceção (Is 56:10-11).

Além do Antigo Testamento o Senhor usa a figura do atalaia no Novo Testamento como aquele sentinela que guarda, que vigia e que cuida. O livro de Ezequiel mostra o dever do atalaia espiritual, como aquele cuja responsabilidade é de avisar quando chegar “a espada”, ou seja, o juízo de Deus.(Ez 33:3-4). Também atalaia é aquele que mostra a situação espiritual do perverso para que esse venha andar num outro caminho. Como no caso do homem perverso, o objetivo é fazer que esse mude de caminho., ou seja, que esse se converta.(Ez 33:9).

Creio que outro dever do atalaia espiritual é tocar a trombeta, gritando e clamando quando preciso, quando algo está estranho no forte, intercedendo junto ao seu Senhor quando necessário. Esse perfil de atalaia se enquadra no que chamamos hoje de pastor de almas. Tocar a trombeta é proclamar a palavra de Deus. Gritar ,clamar e interceder é o dever do pastor e atalaia.O forte ou a fortaleza se refere a Igreja de Deus na terra.
Porém é necessário ressaltar que existem dois tipos de atalaias : Os atalaias vigilantes e os atalaias cegos.

Os atalaias vigilantes são aqueles que conseguem enxergar perfeitamente. São os servos diligentes e prudentes que se empenham para cuidar , guardar e vigiar alguma propriedade.

O atalaia é  aquela pessoa que fica num alto lugar, como torres, postos e grandes rochedos como no caso dos pastores para “enxergar de longe”. São colocados nesses lugares estratégicos para avisar de ataques inimigos que tentam invadir a fortaleza, de ladrões que tentam roubar a colheita e se qualquer coisa estranha venha a acontecer. Na Igreja do Senhor isso não é diferente, pois Deus constitui pessoas como atalaias do Reino. São pessoas que discernem espiritualmente algo, antes mesmo de acontecer. São pessoas com uma visão diferenciada das demais. Existem irmãos que cuidam das coisas de Deus , mas não possuem uma visão do Reino de Deus.  Esses atalaias vigilantes discernem espiritualmente as situações contrárias ao projeto de Deus nesta Terra.  São pessoas que são guiadas pelo Espírito do Senhor , possuem revelação do Altíssimo e andam segundo a Sua Vontade.

A palavra do Senhor diz: “As portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja” (Mateus 16:19)

Certa vez surpreendido pela revelação que o Espírito dera a Pedro, sobre quem era o Cristo,
o Senhor declara para aquele apóstolo que o “as portas do inferno” não prevaleceriam sobre a Igreja. O diferencial da declaração de Pedro não está na sua pessoa, mas está na revelação dado pelo Altíssimo e a na sua profissão de fé, ou digamos, na sua confissão.
Pedro, como atalaia diligente teve a revelação do Alto e confessou diante dos homens e diante de Deus e por isso foi louvado.

Conforme está escrito:

E digo-vos que todo aquele que me confessar diante dos homens, também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus; mas quem me negar diante dos homens, será negado diante dos anjos de Deus. (Lucas 12:8,9)

Para muitos que não possuem uma revelação espiritual mais profunda, Pedro é a pedra (o fundamento) da Igreja, sendo  o precursor do legado e autoridade papal. E verdadeiramente  estamos fundamentados na doutrina dos apóstolos, cujo Pedro era um dos principais líderes. Porém temos que entender que o Senhor disse aquilo não para enaltecer Pedro, mas para mostrar que a revelação de Sua natureza e a confissão de Seu poder é o que faz a diferença  diante do Pai , dos céus e sobre o inferno.  Esta autoridade foi dada exclusivamente ao Senhor Jesus, que tem as chaves da morte  e do Inferno . (Mt 10:28; Ap 1:18). Toda e qualquer autoridade dada a Pedro não passa de uma “interpretação errônea” sobre o poder daquele apóstolo e contraria as Escrituras que condenam a facção e a idolatria humana( 1 Cor 1:12).   A palavra é bem clara ao falar sobre quem era a Pedra principal e o próprio Pedro testifica isso (Mc 12:10, 1 Cor 10:4; 1 Pe 2:7).

Vemos essa verdade nitidamente mostrada nas Escrituras quando Pedro é repreendido por Cristo ao proferir uma sentença contrária a vontade de Deus (Mateus 16: 22-23).  Ao contrário da revelação sobre Cristo que fora elogiado, a sentença seguinte de Pedro sobre sua morte e ressurreição recebeu uma sonora censura como “vinda da carne” e de “Satanás”.
Como vimos, Pedro , como atalaia vigilante do Senhor teve a revelação e o discernimento que veio do Senhor, mas também foi influenciado pelo Diabo a proferir algo fora da vontade de Deus.  O exemplo de Pedro mostra que  podemos pecar , se não vigiarmos e estivermos conectados com Deus.  Não esqueçamos também que este mesmo Pedro que
confessou Jesus como o Cristo, foi o mesmo que o negou ante sua morte na cruz.
E através disso, desse exemplo de Pedro podemos mostrar que muitas vezes a visão e a revelação da vontade de Deus pode em pouco tempo estar longe dos nossos olhos.

Atalaias Cegos – No Antigo Testamento o profeta Isaías profere uma palavra dura aos guias cegos de Israel . Na verdade estes guias cegos eram líderes que estavam mais preocupados em si e sua ganância do que com o Povo e suas necessidades. Como exemplos nas Sagradas Escrituras podemos citar alguns como Balaão , os filhos de Eli (Hofni e Finéias) , bem como na Nova Aliança como o casal Ananias e Safira.

Infelizmente alguns líderes também hoje pensam da mesma maneira com relação a Igreja do Senhor. A apatia daqueles homens em relação a necessidade alheia e a extrema preocupação em “aparentar”aos homens uma conduta supostamente “santa” . Jesus dizia justamente isso dos religiosos fariseus e saduceus e fazia um questionamento:

E dizia-lhes uma parábola: Pode porventura o cego guiar o cego? Não cairão ambos na cova? (Lucas 6:39)

Quando falamos de um guia, lembramos de alguém que nos mostra o caminho de algo. Os guias cegos que Jesus se referia era uma alusão as religiosos fariseus e saduceus que não possuíam visão espiritual. Eles estavam cegos pela avareza , presunção e soberba. Além disso, julgavam os outros sem analisar os seus próprios atos. Eles tinha uma trave nos olhos, mas queriam tirar a dos outros. (Lc 6:42)
Mas a principal  característica dos guias cegos é a hipocrisia religiosa. Ele fingiam ouvir a Cristo, mas o coração deles estavam endurecidos como está escrito:

Por isso lhes falo por parábolas, porque, vendo, não veem; e, ouvindo, não ouvem nem entendem. De sorte que neles se cumprem as profecias de Isaías: ‘Ouvireis com os ouvidos e de nenhum modo entendereis; vereis com os olhos e de nenhum modo percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido, de mau grado ouviram com os ouvidos e fecharam os olhos; para não suceder que vejam com os olhos, ouçam com os ouvidos, entendam com o coração, se convertam e sejam por mim curados” (Mateus 13:13-15).

Aqueles religiosos tinham tudo para serem atalaias de Deus, pois conheciam muito bem as Sagradas Escrituras, porém direcionavam seus discípulos para serem “filhos do inferno” e não filhos de Deus. Como disse Jesus:

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós! ” (Mateus 23:15, BEARA)

Muitas religiosos fariseus andavam milhas para “converter” um não judeu ao judaísmo, mas como disse
Jesus eles tornavam seus discípulos duas vezes piores que eles.  A admoestação de Jesus para aqueles religiosos  mostra que devemos cuidar para não “andarmos na religiosidade”, mas andarmos com Deus.   Aqueles religiosos mostravam um caminho que não levava ao céu.

Precisamos, mais do que nunca nesses tempo discernir os representantes de Deus nesta Terra. Precisamos discernir verdadeiros dos falsos,  os atalaias vigilantes dos cegos.

Jesus nos recomenda claramente a quem devemos seguir e a quem devemos deixar de andar

A respeito dos pastores sérios, ou seja, dos atalaias espirituais e diligentes ecom bom testemunho diz o Senhor:

Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. (Hebreus 13:7)

Quando aos guias e atalaias cegos diz assim a Palavra de Deus:

Deixai-os; são guias cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão no barranco.
(Mateus 15:14 )

 

 

Reparadores de Brechas (parte 1)


reparadores2

E os que de ti procederem edificarão as ruínas antigas; e tu levantarás os fundamentos de muitas gerações; e serás chamado reparador da brecha, e restaurador de veredas para morar. (Isaías 58:12)

No tempo do profeta Isaías as coisas não eram tão diferentes do que é hoje em termos de de busca por Deus. Diz a palavra de Deus que o povo buscava o Senhor, porém essa busca não passava de um mero ritual religioso sem vida e que isso nada produzia em termos de  vida com Deus e com os seus semelhantes.
Quando o profeta profere uma palavra sobre a transgressão do Seu povo, Israel vivia um tempo onde a vontade de Deus era deixada de lado. Eles viviam na idolatria, não tinham compromisso com a palavra de Deus e seus mandamentos, mesmo assim, por uma questão de tradição e cultura, continuavam a cultuar ao Senhor. O fato é que aquela “religiosidade aparente” e o agir “politicamente correto” daquele povo não agradava o Senhor.

Diz as Escrituras que o povo jejuava e perguntava pra Deus por que Ele não se atentava para as sua orações e práticas. A resposta de Deus foi bem clara e direta :
Eles não praticavam a Sua justiça e viviam uma vida independente de Deus.
Era um povo muito individualista , como que  vemos hoje, que só pensavam em si, como consumidores e não como provedores de Deus. Eles jejuavam, mas viviam em rixas e brigas. Se achegavam ao Senhor, mas não era para viver segundo a Sua Vontade e sim para viver segundo seus próprios interesses pessoais.

Sabe, queridos naquela época o povo havia esquecido de alguns pontos importantes da vida com Deus como o amor a próximo, a santidade e a justiça de Deus.
Tal como no passado, vemos hoje em  algumas comunidades cristãs já não se ouve falar dos atributos de Deus, bem como, essas doutrinas tão importantes. Em muitos lugares a corrupção deste mundo tem predominado e a apostasia e as heresias são coisas tão nítidas que só não enxerga quem  está envolvido ou manipulado. Naquele tempo  a usura, a mentira e a opressão estavam disfarçadas através de uma capa religiosa. Não somente na esfera religiosa, mas a nação toda sofria pelo “espírito de corrupção” que havia naquele tempo.  Apesar de tudo isso, diz a Palavra de Deus que o Senhor estava levantando entre aquele povo uma geração de  reparador de brechas. A versão judaica,que entendo ser mais abrangente, diz o seguinte:

E aqueles que restarem dentre ti” edificarão os antigos lugares arruinados e tu restaurarás os fundamentos das muitas gerações; e tu serás chamado Gadar-Peretz, o restaurador das veredas para que nelas vivamos.(Is 58:12).

Vemos que os que edificariam não seriam todos, mas  um povo remanescente, ou seja, aqueles que restariam dentre o povo de Deus e que sobreviveriam ante a destruição do templo, ante a perseguição dos inimigos e ante a corrupção daquele tempo.
A palavra diz que aquela geração edificaria os lugares arruinados, aquilo que fora destruído e que também “restauraria os fundamentos ” de muitas gerações. E isso não refere-se a um a algo físico, mas espiritual.  Como está escrito:

Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?
(1 Cor 3:16)

Essas ruínas não são relacionadas ao templo físico destruído, mas ao templo espiritual que se encontra no coração de cada homem.  Creio que esta restauração começa primeiramente no coração de cada crente. E serão esses crentes restaurados que irão ser levantados para restaurar sua geração.  Essa geração levantará aquilo que foi destruído,ou digamos, trará de volta as bases da Palavra de Deus na vida espiritual do Povo. Restaurar fundamentos significa  “trazer  de volta” a Deus (Teshuvá) , colocando o Senhor novamente no Centro.  Esse restauração  trará de volta as origens, a  doutrina bíblica para a vida do homem,mas acima de tudo fará com que povo a pratique. Esse trazer de volta envolvem novamente a prática da santidade, do amor ao próximo e da justiça de Deus no meio do Seu povo.

Amados, creio que o Senhor despertará muitos e  levantará nesse tempo uma geração de reparadores de brechas. Uma geração que reparará as brechas “espirituais” de antigas gerações. Uma geração trará de volta os fundamentos do evangelho e construirá “muros espirituais de proteção” através de suas intercessões e a da adoração. Mas creio que o maior legado desses reparadores de brechas dessa geração é relacionada ao sua relação com a santidade, do altruísmo e da justiça de Deus.