Envolvidos pela Adoração – O dia que Deus encheu a Casa (parte 2)


temple_1_dedication_gallery
E acabando Salomão de orar, desceu o fogo do céu, e consumiu o holocausto e os sacrifícios; e a glória do SENHOR encheu a casa.
E os sacerdotes não podiam entrar na casa do Senhor, porque a glória do Senhor tinha enchido a casa do Senhor. E todos os filhos de Israel vendo descer o fogo, e a glória do Senhor sobre a casa, encurvaram-se com o rosto em terra sobre o pavimento, e adoraram e louvaram ao Senhor, dizendo: Porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre. (2 Crônicas 7:1-3) 

A primeira parte deste estudo falou de alguns princípios importantes para a manifestação da Glória de Deus. Falamos de princípios como disposição de dar o melhor ao Senhor, dar a Glória devida a Seu nome e a adorar em Unidade. Nesta segunda parte falaremos de outros princípios importantíssimos e que foram determinantes para que o a Glória do Senhor se manifestasse naquele lugar. Entre esses podemos citar:

4) Estavam dispostos a edificar um lugar para Deus  – Quando Salomão discursa em 2  Cronicas 6 ,ele relata a disposição no coração de Davi para edificar naquele lugar uma casa ao nome do Senhor (2 Cronicas 2-8).  Falou que embora seu pai Davi tenha essa disposição de edificar a casa do Senhor , quem edificaria de fato era ele (Salomão).
O interessante nesse discurso era que Salomão não enfatizou naquele momento, seu feito, de ter edificado a Casa do Senhor, mas adorou ao Senhor como realizador e cumpridor de todas as coisas e daquela Habitação (2 Cr 6: 4).
Sabe amados, quando Salomão fala de habitação, ele cita um lugar específico (Jerusalém) e um líder (Davi) para conduzir seu povo (2 Cronicas 6: 6).
É claro que hoje entendemos que a nossa adoração não se resume a um lugar específico, mas devemos entender que todos lugares onde se levantou um altar de adoração, esse lugar ficou marcado por Deus. Da mesma forma, o Senhor escolheu nossa vida e o lugar que vivemos para ser a habitação do Senhor.

“Depois disto voltarei, E reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, Levantá-lo-ei das suas ruínas, E tornarei a edificá-lo. Para que o restante dos homens busque ao Senhor, E todos os gentios, sobre os quais o meu nome é invocado, Diz o Senhor, que faz todas estas coisas ”  (Atos 15 : 16,17).

5) Estavam dispostos a viver como habitação de Deus – Entender que o nosso corpo, que nossa vida, ou seja, tudo que fazemos, pensamos , agimos e falamos necessita ser Santo é um dos grandes dilemas da vida cristã na atualidade. Passamos pelo processo da salvação, quando declaramos nosso desejo de andar com o Senhor Jesus. Porém precisamos passar pelo processo da santificação que é onde precisamos renunciar muitas coisas.  E é aí que muitos tropeçam. Quando Paulo fala sobre ser Templo de Deus é justamente isso. Ser uma habitação Santa de Deus. Não somente ir onde o templo está , mas Ser o Templo Santo de Deus em qualquer lugar.

Diz assim a palavra do Senhor :

Não sabeis vós que sois o templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? 
Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. (1 Cor 3:16-17)

Paulo começa dizendo das carnalidades e criancices espirituais dos Coríntios que brigavam, discutiam e se invejavam. Aquele povo se dizia discípulos dos apóstolos, mas nos seus corações os idolatravam e se vangloriavam por isso.  Paulo ressalta essa questão da habitação santa também aos efésios: No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito” (Ef 2.22). Paulo compara o nosso corpo,ou seja, nossa vida nessa carne ao templo de Deus.

Paulo diz que precisamos estar fundamentados profundamente em Cristo e precisamos construir nossas obras em coisas profundas e duráveis como ouro e prata, e não em coisas perecíveis como madeira, feno e palha. Seriam na verdade dois tipos de construção ou obras. Uma, digamos bem profunda e preciosa para Deus,  e outras inúteis, como obras que facilmente se queimam. ( 1 Coríntios 3:12-14) .

Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?
Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. (1 Cor 3:16-17) Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?(1 Cor 6:19)

  E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.(2 Cor 6:16).

Na segunda carta aos Corintios ele ressalta essa questão de carnalidade, de seguir a suas próprias obras (obras da carne – Galas 5:19-21)  vivendo para si próprio em contraste com a vontade de Deus. Todas essas vontades egoístas(ira,dissensões, ódios e discórdias…) levam a idolatria humana que coloca o homem no centro da adoração e não Deus.  Quando habitamos em Deus e Ele em nós, nos tornamos Um com Ele. (João 17:20-22)

Como disse Ezequiel: E farei com eles uma aliança de paz; e será uma aliança perpétua. E os estabelecerei, e os multiplicarei, e porei o meu santuário no meio deles para sempre. E o meu tabernáculo estará com eles, e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. E os gentios saberão que eu sou o SENHOR que santifico a Israel, quando estiver o meu santuário no meio deles para sempre. (Ez 37:26-28)

E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Conforme a tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo, e para modelo de todos os seus pertences, assim mesmo o fareis.” Êxodo 25:8-9

6) Disposição de Ser um Sacrifício Agradável a Deus –  Quando buscamos ser um graveto que queima e não um ouro que reluz entendemos de fato o propósito de Deus em ser um sacrifício agradável a Deus.  Paulo fala que devemos apresentar nossos corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. (Romanos 12:1).

Deus quer usar nossa vida como sacrifício. Ele usa pessoas e não coisas. Quando Abraão estava para “sacrificar” seu filho Isaque, não era o filho do patriarca que o Senhor desejava, mas o coração daquele que sacrificava.  Salomão escreveu isso em Provérbios 23:26 quando disse:

Filho meu dá-me teu coração, e deleitem-se os teus olhos nos meus caminhos (Provérbios 23:26)

Precisamos ser templo, casa espiritual e sacerdócio todos os dias das nossas vidas, oferecendo sacrifícios, ou seja, atitudes agradáveis ao Senhor em nosso viver.
Deus não habita em templos, mas na vida de pessoas que O reconhecem como Aquele
que fez todas as coisas. Em pessoas que abrem “seu coração” ao Senhor e a atuação do Espírito Santo em suas vidas. Como disse Estevão no Sinédrio:

Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta: O céu é o meu trono, E a terra o estrado dos meus pés. Que casa me edificareis? diz o Senhor, Ou qual é o lugar do meu repouso? Porventura não fez a minha mão todas estas coisas?”  (Atos 7 : 48-50).

Estevão foi apedrejado pelos religiosos ao falar da diferença de um templo físico e um templo espiritual.  E este templo espiritual que precisamos ser e viver.

Pedro também diz:  “Como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo” (1Pe 2.5).

Pedras vivas, significa templo em movimento, ou seja, pessoas que adoram a Deus em todo tempo .  Os sacrifícios nesse caso são lábios que confessam e atitudes de confissão
Como está escrito:

Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.(Hb 13:15)

Essa confissão não se limita ao dia que aceitamos Jesus, mas a uma aceitação e adoração contínua, em que mortificamos nossa carne no altar do Senhor e O adoramos em Espírito e Verdade.  Essa aceitação e adoração não deve ser de boca apenas, mas de coração( Is 29:13;Mt 15:8). Devemos entender que Aquele que Adoramos nos sonda e conhece todas as nossas intenções e caminhos. (Salmos 139:1)

7)Estavam dispostos a ver a manifestação da Glória de Deus

Quando o Senhor falou a Davi, pela boca do profeta Natã, sobre a habitação de Deus notamos que era um dispensação para época onde a glória de Deus estava ligada a coisas como a Arca e o Templo. Na Arca havia os mandamentos de Deus contidos nas tábuas da Lei, a vara de Arão que significava autoridade e poder e o Maná (que era o alimento diário e milagroso dos hebreus). No templo havia todo material consagrado ao Senhor.
O interessante de tudo isso é que a Glória de Deus se manifestava tanto na Arca, como no Templo e em ambos casos havia um processo específico de obediência e consagração onde a Glória de Deus se manifestava.  A Glória de Deus era algo que trazia temor e tremor para aquelas pessoas e não era banalizada como vemos hoje na Igreja do Senhor.
Ela não estava ligada apenas as “manifestações espirituais”, mas uma vida de frutos e obediência. Lembremos de Uzá e como morreu ao tocar desobediente na Arca e como os sacerdotes se “santificavam” para se achegar ao Santo dos Santos.
Vemos que a Glória se manifestava, mas antes disso, havia um processo de santificação por parte daqueles crentes. Lembre-se disso que a a tipologia daquilo que tinha na arca podemos ter em nossa vida como os mandamentos de Deus  (não em tábuas de pedra, mas carne), Sua Palavra(Maná) e Sua autoridade e poder conferido.
Quando a Glória de Deus se manifestou no templo construído por Salomão, houve um grande sacrifício e uma grande santificação (2 Cronicas 5:6;11).  Todos estavam dispostos a ver a Presença de Deus, mas sabiam que não era de qualquer jeito e forma.  Entre o povo e Deus houve um renovo de pacto e juramento onde declaravam a Ele toda a obediência e adoração. Foi então que depois disso, que a Glória de Deus se manifestou.

Amados, precisamos aprender com isso, que nossa vida não precisa estar perfeita, mas consagrada ao Senhor para Seu propósito. Muitas vezes Sua Presença não é manifesta pelas nosso coração duro e incrédulo. Pela nossa irreverencia e falta de temor ao Eterno.
Precisamos nos conscientizar que a Glória só desceu, porque um aroma suave e agradável subiu (Sl 141:2;Ap8:4) , Diferentemente quando fazemos de qualquer jeito (Is 65 :5)

Precisamos deixar de murmurar, mas declarar também a plenos pulmões da Sua Bondade. Como diz os Salmos:

Louvem ao Senhor pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens. E ofereçam os sacrifícios de louvor, e relatem as suas obras com regozijo.
(Salmos 107:21,22). 

Foi isso que todos presentes fizeram no final, declararam a Sua bondade e em razão disso, toda Casa se encheu da Glória de Deus(2 Cronicas 7:3)

 

Anúncios

Sobre Anderson Cássio de Oliveira

Líder do ministério Missão Com Cristo, avivalista apologético, trabalha principalmente com ensino, discipulado e serviço cristão, voltados a levar a Igreja do Senhor a um avivamento genuíno (com base nas Escrituras). Administrador do blog de missões - Chamado para as Nações.
Esse post foi publicado em artigos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s